Cidade

Com retirada de água em Pirajá, infestação de ratos causa preocupação

A situação do bairro de Pirajá, que ficou completamente tomado pela água após as fortes chuvas que atingiram Salvador, foi comentada pelo secretário municipal de Manutenção, Marcílio Bastos, em entrevista à Rádio Metrópole nesta sexta-feira (8). [Leia mais...]

[Com retirada de água em Pirajá, infestação de ratos causa preocupação]
Foto : Divulgação/Seman

Por Bárbara Silveira e Gabriel Nascimento no dia 08 de Janeiro de 2016 ⋅ 09:50

A situação do bairro de Pirajá, que ficou completamente tomado pela água após as fortes chuvas que atingiram Salvador, foi comentada pelo secretário municipal de Manutenção, Marcílio Bastos, em entrevista à Rádio Metrópole nesta sexta-feira (8). “A prefeitura se mobilizou como um todo dando atenção a comunidade e voltar a normalidade naquele local porque tava sofrendo. Ali foi mais de 12 mil litros que realmente subiu muito rápido. Sabemos que é uma baixada, e toda aquela captação da região passa por lá”, afirma.

Sobre a Rua São Francisco Xavier, o secretário afirmou que a prefeitura tem dado assistência a população e que o lixo foi um dos causadores do problema. “Fizemos todas ações emergenciais para que as famílias desabrigadas tivessem assistência (...)  fizemos a desobstrução de um canal que estava completamente obstruído, cheio de lixo. O que obstruiu a rede foi justamente o lixo, muita garrafa pet, o papel da imprensa é muito importante pra conformar a população e saber que a prefeitura tem técnicos (...) a rede que tava completamente cheia de pneu. Conseguimos fazer uma operação pra tirar toda a água da comunidade, fizemos um calculo e 10 horas de atuação, colocamos bombas”, explica.

Com a retirada da água, a preocupação agora é com o risco de doenças causadas por ratos, que são facilmente encontrados na região. “Conversei com o secretário José Antônio e ele acionou a equipe pra fazer a desratização, tem a preocupação também com a saúde. A secretária de saúde foi vacinar os moradores do local (...) tem muito esgoto clandestino”, acrescenta.

Notícias relacionadas