Cidade

Grupo pode assumir Hotel Pestana: “Não podemos aceitar o fechamento”

Após anunciar o fechamento da unidade de Salvador logo após o Carnaval sem data para ser reaberto, o futuro do espaço onde funciona o Hotel Pestana pode ter um novo destino. Em entrevista à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (25) [Leia mais...]

[Grupo pode assumir Hotel Pestana: “Não podemos aceitar o fechamento”]
Foto : Reprodução/Youtube

Por Bárbara Silveira e Gabriel Nascimento no dia 25 de Janeiro de 2016 ⋅ 09:38

Após anunciar o fechamento da unidade de Salvador logo após o Carnaval sem data para ser reaberto, o futuro do espaço onde funciona o Hotel Pestana pode ter um novo destino. Em entrevista à Rádio Metrópole nesta segunda-feira (25), o secretário de Turismo da Bahia, Nelson Pelegrino, afirmou que o estado “não pode aceitar o fechamento” do equipamento, que vai impactar diretamente no turismo local.

“Disseram [grupo responsável pelo Pestana] que não estão com dificuldade econômica, que o grupo tem solidez. Disse ao pessoal que penso o seguinte, eles podem apresentar qualquer alternativa, há uma abertura da prefeitura pra que se construa um caminho. Na minha opinião, qualquer possibilidade estamos abertos a discutir, a única que a gente não pode discutir é o fechamento. O equipamento tem uma serie de problemas, veio perdendo hospedes em função da conservação. O equipamento que tem um centro de convenções também, congresso que tem em torno de 500 a 2 mil pessoas tem que ser realizado em hotéis, e lá tem um centro de convenções maravilhoso, precisa de um novo investimento”, disse.

De acordo com o secretário, os empresários afirmam que estão estudando uma possibilidade, mas caso o fechamento seja a única solução, um outro grupo deve assumir o espaço que continuará funcionando como hotel. “Eles dizem que estão estudando, organizando, chegaram a dizer que estava analisando a possibilidade de fazer algo misto, uma parte um equipamento integrante, outra apart hotel, a outra parte hotel onde haveria um subsídio cruzado. Na minha opinião, nós não podemos aceitar o fechamento do equipamento. Se o Pestana não quiser usar mais o equipamento, a minha posição é que devemos em um caso extremo, desapropriar e chamar um novo grupo econômico pra assumir. Tiveram recursos do Desenbanco na época, depois pagaram, então acho que tá na hora de tomar um novo empréstimo, se for o caso, reformar o equipamento e devolver a cidade, porque é algo importante para o turismo na Bahia”, se posicionou.

Notícias relacionadas