Terça-feira, 17 de maio de 2022

Cidade

Escola nega preconceito e diz que vaga foi preenchida por aluno veterano

Escola Adventista da Bahia afirmou ter previsão de abrir nova turma de 7º ano onde adolescente cego será incluído

Escola nega preconceito e diz que vaga foi preenchida por aluno veterano

Por: Gabriel Amorim no dia 05 de janeiro de 2022 às 12:11

A Escola Adventista da Bahia negou, em nota enviada ao Metro1, que tenha tido conduta preconceituosa ao negar matrícula a um adolescente cego. Segundo a escola, a última vaga na turma foi preenchida por um aluno veterano ainda durante o processo de visita realizado por Luis Otávio e sua família.

“Sobre o caso envolvendo a Escola Adventista de Amaralina, afirmamos que o número de vagas foi preenchido durante o processo da matrícula. Um aluno veterano preencheu a única vaga existente para a turma do 7º ano. O diretor da escola entrou em contato com o pai do aluno que pleiteava a vaga explicando a situação e informou que, possivelmente, a partir do dia 15 de janeiro uma nova turma seria aberta”, diz a nota enviada ao Metro1.

Ainda segundo o posicionamento, a escola afirma ser contra qualquer conduta preconceituosa. “Atualmente, cerca de 200 alunos com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento estudam na Rede Adventista de Educação em Salvador e Lauro de Freitas. A instituição preza pela inclusão e oferece atendimento diferenciado para os alunos com necessidades especiais, inclusive, com profissional especializado para contribuir com o trabalho pedagógico realizado em sala de aula”, diz o texto.

Segundo a instituição de ensino, uma nova turma de 7º ano poderá ser aberta na unidade para matrículas ainda em janeiro e, neste novo grupo, uma vaga para Luís Otávio estaria assegurada.
 

Escola nega preconceito e diz que vaga foi preenchida por aluno veterano - Metro 1