Cidade

Mostra exibe o curta 'Impulso' nesta quinta-feira na Sala de Arte

O ex-vocalista da banda Superfly, Bruno Masi, esteve presente nesta quarta-feira (30), no programa Roda Baiana da Rádio Metrópole, e comentou o curta metragem "Impulso", que compõe a 1ª Mostra do Coletivo Rainha Cinema Digital. [Leia mais...]

[Mostra exibe o curta 'Impulso' nesta quinta-feira na Sala de Arte]
Foto : Bárbara Hamaji / Metropress

Por Jessica Galvão no dia 30 de Março de 2016 ⋅ 14:46

O ex-vocalista da banda Superfly, Bruno Masi, esteve presente nesta quarta-feira (30), no programa Roda Baiana da Rádio Metrópole, e comentou o curta metragem "Impulso", que compõe a 1ª Mostra do Coletivo Rainha Cinema Digital. "A gente tava muito inquieto e muito insatisfeito por não produzir ficção com tanta gente boa aqui em Salvador, tantas atrizes e atores incríveis. O propósito do Coletivo é criar pontes entre os núcleos produtivos, entre as pessoas, entre as partes", disse.

"O nosso propósito não é criar grandes obras de arte e sim criar, produzir, dar vazão a uma arte que está represada por várias dificuldades que a gente sabe, pela crise, pela dificuldade de se fazer cinema. É possível fazer cinema com boa vontade, muito trabalho, e talento também", completou.

Com roteiro e direção do próprio Bruno Masi, a obra, em seus 25 minutos de duração, revela três capítulos: Iluminação, Tesão e Gratidão. Eles trazem como traço comum o impulso humano de fazer ou não fazer uma coisa, gerando resultados. O primeiro deles, Iluminação, trata do controle dos impulsos em contraste com a mente insaciável. Os atores Igor Epifânio e Jarbas Oliver travam um diálogo coberto por imagens cheias de significado ao som da trilha sonora Original do maestro italiano Aldo Brizzi.

O segundo, Tesão, com as atrizes Thais Laila e Mirella Matteo, trata de desejo carnal, o impulso básico do sexo, do prazer puro e simples. Duas bonitas mulheres falam sobre uma fantasia sexual. 

Por fim, em Gratidão, Márcia Andrade e Evelin Buchegger dão vida às personagens. A primeira interpreta uma mulher cuja mãe está para morrer, enquanto Evelin se transforma na grande amiga que ajuda a primeira. Movida por profundo amor e num momento muito delicado de sua vida, Márcia agradece a Evelin por todo apoio a ela e ao seu filho, Joãozinho. Um filme que aborda sonhos, lembranças, memórias, morte e vida, uma conversa de coração aberto entre duas mulheres experientes e sensíveis.

O curta será apresentado às 20h, na próxima quinta-feira (31), na Sala de Arte Cinema do Museu, no Corredor da Vitória. Após a sessão, o público será convidado a um breve bate-papo com toda a equipe.

Notícias relacionadas