Cidade

Secretário diz que novo serviço do Waze não é clandestino "à primeira vista"

O Waze anunciou nesta quarta-feira (22) que vai liberar para o Brasil o serviço de caronas do dispositivo, o "Carpool". Através do aplicativo, os motoristas poderão informar seu destino e pegar pessoas que estejam indo para a mesma direção. Diferente dos serviços particulares como táxi e Uber, o beneficiado só precisa ajudar com a gasolina. [Leia mais...]

[Secretário diz que novo serviço do Waze não é clandestino
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Luiza Leão no dia 22 de Março de 2017 ⋅ 16:42

O Waze anunciou nesta quarta-feira (22) que vai liberar para o Brasil o serviço de caronas do dispositivo, o "Carpool". Através do aplicativo, os motoristas poderão informar seu destino e pegar pessoas que estejam indo para a mesma direção. Diferente dos serviços particulares como táxi e Uber, o beneficiado só precisa ajudar com a gasolina. 

Para o secretário de Mobilidade de Salvador, Fábio Mota, caso o serviço seja disponibilizado na capital baiana não poderá ser inicialmente considerado clandestino. " Se não for cobrar a corrida não tem porquê [ser considerado clandestino]. À primeira vista, não. Aí é considerado carona solidária", disse o secretário ao Metro1

Mota explicou ainda que um outro motivo que não classifica o Carpool como transporte público é que não há lucro para o motorista, mas uma colaboração pela ajuda concedida, mediada pelo dispositivo. "Pelo que eu estou entendendo não tem lucro na viagem. Se não tem lucro na viagem não é considerado como transporte público", pontuou.  

Essa foi a explicação dada pela diretora do Waze, Di-ann Eisnor, durante anúncio da disponibilização do novo serviço para o Brasil. "Os wazers vão fazer algum dinheiro, para cobrir os custos, mas não suficiente para se tornarem profissionais", declarou.

A função

O Waze Carpool foi lançado em Israel e já está disponível nos Estados Unidos. O objetivo do serviço é reduzir o tempo ocioso dos veículos. "O waze está mudando a forma como os motoristas se comportam no trânsito, mas os carros ainda ficam estacionados 90% do tempo", justifica Di-ann.

A empresa desenvolveu um vídeo explicando em detalhes o funcionamento do dispositivo. Assista:

 

Notícias relacionadas