Cidade

Obras do primeiro Hospital Municipal de Salvador estão 40% concluídas

Um dos maiores projetos da Prefeitura para qualificação do serviço de saúde da cidade ganha nova forma a cada dia. O Hospital Municipal de Salvador, que começou a ser construído no segundo semestre do ano passado, já conta com 40% das obras concluídas, dentro do prazo previsto pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). [Leia mais...]

[Obras do primeiro Hospital Municipal de Salvador estão 40% concluídas]
Foto : Jefferson Peixoto/Agecom

Por Matheus Simoni no dia 24 de Março de 2017 ⋅ 19:21

Um dos maiores projetos da Prefeitura para qualificação do serviço de saúde da cidade ganha nova forma a cada dia. O Hospital Municipal de Salvador, que começou a ser construído no segundo semestre do ano passado, já conta com 40% das obras concluídas, dentro do prazo previsto pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As instalações estão sendo erguidas na Via Coletora B, final de linha da Boca da Mata (antigo Sítio União), e está dentro do cronograma, com previsão de inauguração para o primeiro semestre de 2018. A obra será vistoriada na semana que vem pelo prefeito ACM Neto, durante as comemorações pelo aniversário de 468 anos de Salvador

Próximo aniversário de Salvador, o comerciante Joais Santos, 34 anos, morador de Boca da Mata há uma década, agradece o presente dado à cidade. “Esse presente que Salvador está recebendo é de grande valia para região de Cajazeiras e adjacências. Outrora, a gente saia de Cajazeiras para ir para o Hospital Geral do Estado (HGE) ou para o Hospital do Subúrbio. E com a rapidez que está acontecendo a construção do Hospital aqui em Boca da Mata, acredito que não será mais preciso a gente perder tempo em fila e até mesmo não ser atendido”, afirma Joais, sem esconder a ansiedade de ver o equipamento entregue. 

O Hospital Municipal de Salvador funcionará 24 horas por dia integrado às UPAs situadas nos bairros de Itapuã, San Martin, Barris, Valéria, Parque São Cristóvão, Brotas, Pirajá/Santo Inácio, Paripe e Periperi, servindo de retaguarda para os pacientes oriundos dessas unidades. Ou seja, as UPAs realizarão o primeiro atendimento, sendo que os casos mais complexos serão encaminhados para o hospital, onde os pacientes darão continuidade ao tratamento, incluindo o internamento quando necessário.

A unidade contará com 20 leitos de observação adulto e 10 pediátricos. Já o setor de internamento contará com 180 leitos, e outros 30 leitos serão para terapia intensiva. Ou seja, será um total de 210 leitos. O equipamento terá 12 mil m² de área construída, de um total de 17 mil m², e a estimativa é que sejam atendidos até 60 mil pacientes por mês, sendo que a área de urgência e emergência poderá receber até 500 pacientes por dia. Ao todo, serão investidos R$ 120 milhões de reais na edificação, equipamentos e mobiliário. O acesso será através da BR-324 e da Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), dois dos principais corredores viários da cidade, facilitando o ingresso de pacientes oriundos de qualquer área.

Estrutura - A unidade contará com consultórios nas áreas de cardiologia, cirurgia-geral, neurologia, cirurgia pediátrica, pediatria, médico-generalista, ortopedia e traumatologia, serviço social e pré-consulta de enfermagem, sala da coordenação e de atendimento. A estrutura ofertará serviços de hospital dia, emergência 24 horas, internação, bioimagem e exames laboratoriais, além de apoio pós-alta médica. Também haverá uma base do Samu.

A emergência 24 horas seguirá o Protocolo de Manchester – com definições de atendimento de emergência (muito urgente; urgente; pouco urgente; não urgente), com realização de acolhimento, classificação de risco, consulta de enfermagem e consulta médica. Em seguida, o paciente será encaminhado para atendimento específico para o problema de saúde.

O serviço de bioimagem também funcionará 24 horas, contando com exames de raio X digital, ultrassom com doppler, ecocardiograma, eletrocardiograma, eletromiograma, eletroencefalograma, tomografia e ressonância, complementando o diagnóstico do paciente.

A estrutura da unidade contará com ambulatório, endoscopia e centro cirúrgico. O ambulatório terá consultório de cirurgia, de anestesia e pré-consulta de enfermagem. Já o setor de endoscopia contará com três salas de exames, dois boxes de preparo e repouso com oito poltronas. O centro cirúrgico será composto por duas salas de pequenas operações e 12 leitos de recuperação pós-anestésica. Além disso, ele contemplará as áreas de neurocirurgia, traumaortopedia, cirurgia-geral, indução e recuperação anestésica, seis salas de operação (duas médias e quatro grandes), de apoio a demandas especializadas e de biópsia de congelação.

A área de patologia clínica também funcionará durante 24 horas com coleta para adultos e crianças, bioquímica, hematologia, parasitologia, urianálise, microbiologia, estoque e compatibilização. O paciente também contará com o serviço de acompanhamento após a alta médica, realizado por meio de uma equipe de atendimento domiciliar que vai promover a continuidade do tratamento em casa, com orientação também para familiares ou acompanhantes. As equipes de saúde da família da região onde o paciente residir farão esse acompanhamento após a alta médica.

 

Notícias relacionadas