Cidade

900 adolescentes são beneficiados em três anos do Projeto Jovem Aprendiz

O projeto Jovem Aprendiz Empreendedor já beneficiou 900 adolescentes desde que entrou em atividade em Salvador, há três anos [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Valter Pontes/ Secom

Por Luiza Leão no dia 25 de Abril de 2017 ⋅ 18:14

O projeto Jovem Aprendiz Empreendedor já beneficiou 900 adolescentes desde que entrou em atividade em Salvador, há três anos. A iniciativa, que tem como intuito encaminhar os participantes para o mercado de trabalho, oferecendo a eles capacitações teóricas e práticas, é fruto de um convênio entre o Parque Social, organização sem fins lucrativos, e a Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Gestão (Semge).

A última seleção para o programa ocorreu em dezembro de 2016. Na época, 1.500 jovens fizeram inscrição online e passaram por uma seleção da triagem de documentação, processo seletivo de dinâmica e entrevista psicossocial com os educadores do projeto. Do total, 300 candidatos foram contratados pelo Parque Social este ano e passaram por uma formação teórica intensiva, que começou em fevereiro.

Os jovens foram preparados para atuarem como aprendizes na função de Auxiliar Administrativo, em 28 órgãos da administração direta e indireta municipal.

O vínculo

Os adolescentes têm a carteira assinada por tempo determinado de 16 meses. Além disso, recebem meio salário mínimo, além de SalvadorCard, fardamento, crachá e material didático.

Critérios

O jovem que tiver interesse em participar do Jovem Aprendiz Empreendedor deve ter até 22 anos e seis meses, ser oriundo de escola pública, não pode ter perdido ano escolar, nem ficado em dependência de matérias. Só são permitidos jovens com escolaridade a partir do 9º ano do Ensino Fundamental.

Notícias relacionadas

[Homem diz ter cometido 13 estupros em Salvador e RMS ]
Cidade

Homem diz ter cometido 13 estupros em Salvador e RMS

Por Juliana Almirante no dia 12 de Outubro de 2019 ⋅ 09:00 em Cidade

Segundo a polícia, ele oferecia as oportunidades de emprego, se passava pelo motorista de um suposto contratante, e dopava as mulheres, antes de cometer os crimes