Cidade

Vereador denuncia agressão de guardas municipais na Bonocô; veja vídeo

O vereador Toinho Carolino (Podemos) foi entrevistado pelo apresentador José Eduardo durante o Jornal da Bahia No Ar da Rádio Metrópole na manhã desta segunda-feira (7) e denunciou a atitude de guardas municipais no último final de semana.[Leia mais...]

[Vereador denuncia agressão de guardas municipais na Bonocô; veja vídeo]
Foto : Reprodução / Youtube

Por Matheus Simoni no dia 07 de Agosto de 2017 ⋅ 09:54

O vereador Toinho Carolino (Podemos) foi entrevistado pelo apresentador José Eduardo durante o Jornal da Bahia No Ar da Rádio Metrópole na manhã desta segunda-feira (7) e denunciou a atitude de guardas municipais no último final de semana. Segundo ele, os agentes estavam agredindo garis durante o jogo do Bahia, na região da Fonte Nova. "Fui deixar o deputado Bacelar no jogo do Bahia. Eu também sou, mas minha filha estava doente. Eu ia para casa, quando pude observar os guardas municipais correndo com as armas fora dos coldres. Vi que eles haviam imobilizado três rapazes, um estava com a calça de gari da Revita, e começaram a espancá-lo. Quando fizeram isso, fui conversar com eles para saber o motivo de tanta violência", disse o vereador. Segundo Carolino, os guardas passaram a questioná-lo e chegaram a apontar uma arma de choque contra seu rosto.

"Perguntei se, já que os rapazes estavam imobilizados, porque não os leva para a delegacia? Eles começaram a questionar quem eu era. Eu disse que era um cidadão, que achava que eles tinham que fazer o trabalho deles, mas não daquela forma. Eles começaram a gritar que era desacato e tentaram me prender. Eu me apresentei como vereador, estava com a carteira em mãos, mas eles não quiseram ver. Usou várias palavras de baixo calão, disseram que eu não mandava em porra nenhuma e quem mandava era ele. Bafaram meu celular e tentaram apagar o vídeo que estava gravando", denunciou o parlamentar. Ainda de acordo com ele, os agentes também o agrediram na ocorrência. Toinho afirmou que os guardas serão convocados para dar esclarecimentos. "Tem que ter respeito. É uma vergonha para a prefeitura ter homens desse tipo utilizando uma farda que nós pagamos e agir dessa forma. O pior foi que eles estavam com a arma apontada para a minha cara e outro estava dizendo "atira na cara dele"".

Durante o programa, o diretor de Segurança Urbana e Prevenção à Violência da Secretaria Municipal de Ordem Pública, Maurício Lima, afirmou que o caso já está sendo investigado pela Prefeitura de Salvador. "Já tomei conhecimento do fato, já tivemos todas as informações possíveis. Estamos tomando as devidas providências. Teve um fato em uma barreira com a Transalvador. Um rapaz estava com a calça de gari, mas com outra camisa, sandália e uma cerveja na mão. Houve um desacerto porque eles queriam estacionar os carros em lugares proibidos", disse o dirigente. Ele ainda destacou que a corporação está levando em consideração a versão do edil. "A GM respeita muito o vereador e acredita muito em sua versão. Houve a intervenção num momento crítico e pode ter tido um desentendimento. Isso tudo será apurado. Caso tenha tido um excesso, iremos apurar e vamos punir", declarou.

Notícias relacionadas