Cidade

Sobe para 16 o número de ônibus queimados em Salvador só em 2017

Com isso, Salvador acumula 16 ônibus incendiados só em 2017 e 45 nos últimos três anos. A violência no transporte coletivo foi tema da matéria de capa do Jornal da Metrópole dessa semana [Leia mais...]

[Sobe para 16 o número de ônibus queimados em Salvador só em 2017]
Foto : Leitor/Metro1

Por Bárbara Silveira no dia 29 de Agosto de 2017 ⋅ 08:10

A madrugada de segunda-feira (28) foi violenta em Salvador, com dois ônibus incendiados nos bairros do IAPI e da Calçada. Segundo informações da polícia, o ataque no IAPI aconteceu na Rua Conde de Porto Alegre, em uma localidade conhecida como “Milho”. Na Calçada, o atentado ocorreu na Rua Nilo Peçanha após a morte de um rapaz.

Com isso, Salvador acumula 16 ônibus incendiados só em 2017 e 45 nos últimos três anos. A violência no transporte coletivo foi tema da matéria de capa do Jornal da Metrópole dessa semana. De acordo com o diretor de comunicação do Sindicato dos Rodoviários, Daniel Mota, além da sensação de pânico, o ato ainda contribui para o desemprego. “Cada ônibus queimado representa aproximadamente cinco trabalhadores demitidos. A população fica sem ônibus, porque as empresas não repõem”, falou Mota. A informação sobre as demissões foi confirmada pelas empresas à Metrópole.

PM e Civil garantem operações
A PM declarou que tem aumentado a vigilância por meio das ações da Operação Gêmeos, do Gerrc e da Operação Amanhecer Seguro. “Fazemos abordagens e operações com base nas ocorrências. A PM dispõe de um banco digital de fotografia de pessoas condenadas por este tipo de crime, bem como acesso das imagens das câmeras dos ônibus coletivos”, explicou a corporação, por meio de nota.

Empresas recusaram campanha
Diretor de Relações Institucionais do Setps, Jorge Castro disse que, após reunião com Prefeitura e Secretaria de Segurança Pública, as empresas se recusaram a arcar com parte do custo de uma campanha de conscientização sobre manifestações que terminam com ônibus incendiados. “Eu vou fazer campanha para traficantes, terroristas, não queimarem ônibus? Quem queima não é a população”, disse.

Notícias relacionadas