Cidade

Hospital Roberto Santos lança programa para realização de transplantes de órgãos na unidade

O Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), localizado no bairro do Cabula, em Salvador, lançou, na manhã desta quarta-feira (27), data em que é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, o programa de transplantes de órgãos da instituição.[Leia mais...]

[Hospital Roberto Santos lança programa para realização de transplantes de órgãos na unidade]
Foto : Divulgação

Por Paloma Morais no dia 27 de Setembro de 2017 ⋅ 14:22

O Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), localizado no bairro do Cabula, em Salvador, lançou, na manhã desta quarta-feira (27), data em que é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, o programa de transplantes de órgãos da instituição. A cerimônia de lançamento foi realizada no Auditório Central da unidade, e contou com a presença dos profissionais da unidade e de pacientes transplantados.

O HGRS, que é considerado o maior hospital público das regiões Norte e Nordeste, com a implantação do programa será a segunda unidade da rede estadual de saúde a realizar transplantes. A unidade começará com o transplante de rim e fígado, e deve realizar, ainda este ano, a primeira cirurgia em paciente renal, e, até 2018, em pessoas com deficiências hepáticas. 

Mesmo sem começar as cirurgias, os procedimentos ambulatoriais para pacientes transplantados em outras unidades já foram iniciados. De acordo com o diretor-médico do hospital e idealizador do programa, André Durães, equipes já estão aptas para a realização dos transplantes de rins, e a unidade está em processo de habilitação para o transplante de fígado, e, posteriormente, de córnea, todos realizados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Esse hospital é extremamente estratégico para a rede SUS na Bahia e, diante da necessidade de avançar na área dos transplantes, unimos profissionais qualificados e vamos realizar os procedimentos aqui. Vários pacientes precisavam se deslocar para outros estados, para tratamento fora do domicílio. Agora, os pacientes renais, por exemplo, poderão receber o órgão, serem atendidos no ambulatório para transplantados aqui. Também abriremos vagas para outras pessoas que precisam de hemodiálise. Isso vai ofertar muita qualidade de vida para essas pessoas”, explicou o diretor-médico do HGRS. .

Doação de órgãos na Bahia

Cerca de dois mil baianos estão na fila esperando por um transplante de órgão, sendo que a maioria é para transplante de córneas e rins, e por fígado e pulmão. De acordo com a Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), um dos problemas que acarretam na fila é a não permissão da doação por parte das famílias baianas de pessoas que já morreram e que os órgão poderiam ser aproveitados, um número que chega a mais de 60%. 10% das doações realizadas no estado são de pessoas vivas.

Notícias relacionadas