Cidade

Estudante morta no Costa Azul teria se assustado e reagido ao assalto

A mulher morta em uma tentativa de assalto no Costa Azul na noite do último sábado (29) era a estudante de medicina Marianna Oliveira Teles, de 22 anos. De acordo com a polícia, o crime aconteceu por volta das 18h Rua Coronel Durval Mattos, que fica a menos de 200 metros da companhia das Rondas Especiais da Polícia Militar (Rondesp) do bairro. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Facebook

Por Bárbara Silveira no dia 30 de Agosto de 2015 ⋅ 08:33

A mulher morta em uma tentativa de assalto no Costa Azul na noite do último sábado (29) era a estudante de medicina Marianna Oliveira Teles, de 22 anos. De acordo com a polícia, o crime aconteceu por volta das 18h Rua Coronel Durval Mattos, que fica a menos de 200 metros da companhia das Rondas Especiais da Polícia Militar (Rondesp) do bairro.

Mariana chegava na casa do namorado quando foi surpreendida por um homem que anunciou o assalto em frente ao edifício Costa Brava. Apesar da polícia ainda não confirmar, segundo moradores da região, a estudante teria se assustado e reagido ao assalto e acabou baleada no pescoço. "Foi tudo muito rápido, ela gritou por socorro e atirou a mochila para dentro do prédio. Em seguida ouvi o disparo", disse um morador sem se identificar ao A Tarde. Uma unidade do Serviço Móvel de Urgência chegou a ser encaminhada ao local, mas Mariana não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Ainda segundo a polícia, após balear Mariana, o homem roubou um veículo modelo Chevrolet Cruze e fugiu do local. A 9 ª Delegacia Territorial da Boca do Rio investiga o crime. O corpo da estudante será enterrado nesse domingo (30), no cemitério Jardim da Saudade.

O crime aconteceu na mesma rua onde o Jornal da Metrópole denunciou, no final de julho, os frequentes assaltos e assassinato. Com inúmeros imóveis abandonados, o Costa Azul deixou de ostentar o título de bairro nobre para fazer parte de uma das áreas mais violentas de Salvador. Ainda em julho, a cabelereira Arlethe Patez, foi sequestrada quando saía do salão de beleza Rive Gauche, na Rua Cassilandro Barbuda, no Costa Azul. Ela e uma amiga caminhavam em uma calçada, quando foram surpreendidas por alguns homens e obrigadas a entrar num carro.

Morador do Costa Azul há dois anos e meio, o engenheiro eletricista Lucas Mateus Silva foi uma das vítimas da onda de violência que assola o bairro. Em janeiro deste ano, Silva teve o carro roubado em plena madrugada. “Tinha o costume de estacionar o carro em frente ao meu prédio, que fica na Rua Monsenhor Gaspar Sadoc, mas ele foi roubado às 4h30”, contou. “Mas não é um caso isolado: acontece diariamente. Um dos piores lugares para se estacionar hoje em Salva dor é no Parque Costa Azul. A probabilidade de se ter o carro roubado ou danificado é muito grande”, contou ao Jornal da Metrópole.

Notícias relacionadas