Cidade

Corpo de estudante morta no Costa Azul é cremado em cerimônia emotiva

O corpo de Marianna Oliveira Teles, 22 anos, vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), no bairro do Costa Azul, foi cremado na tarde deste domingo (30), no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas. Centenas de pessoas emocionadas entre familiares, amigos e colegas da estudante de medicina estiveram no local. Segundo relatos, os pais de Marianna estavam sob o efeito de medicamentos. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução / Bocão News

Por Camila Tíssia no dia 30 de Agosto de 2015 ⋅ 17:23

O corpo de Marianna Oliveira Teles, 22 anos, vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), no bairro do Costa Azul, foi cremado na tarde deste domingo (30), por volta das 16h30, no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas. Centenas de pessoas emocionadas entre familiares, amigos e colegas da estudante de medicina estiveram no local e acompanharam o velório. Segundo relatos, os pais de Marianna estavam sob o efeito de medicamentos. 

De acordo com informações da Central de Polícias, o crime aconteceu na noite desse sábado (29), quando a vítima havia acabado de sair do seu carro e se dirigia para a casa do namorado, no Edifício Costa Brava, localizado na Rua Coronel Durval Matos, no Costa Azul, quando foi abordada pelo assaltante. Há informações de que ela teria reagido à ação e foi baleada.

Na manhã de hoje, policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) iniciaram a investigação para identificar o assassino da estudante. Segundo a polícia, um vídeo gravado pela câmera de segurança do edifício Costa Vile, a cerca de 50m do local do crime, registrou a ação dos criminosos. Nesta segunda-feira (31), será definido o delegado que vai acompanhar o caso.

Notícias relacionadas

[Homem diz ter cometido 13 estupros em Salvador e RMS ]
Cidade

Homem diz ter cometido 13 estupros em Salvador e RMS

Por Juliana Almirante no dia 12 de Outubro de 2019 ⋅ 09:00 em Cidade

Segundo a polícia, ele oferecia as oportunidades de emprego, se passava pelo motorista de um suposto contratante, e dopava as mulheres, antes de cometer os crimes