Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cidade

Reitor da Ufba confirma realização de disciplina sobre o ‘golpe de 2016’

Apesar “das tentativas de se impedir a realização do componente”, Salles garantiu, em nota divulgada hoje, que a oferta respeitou toda “tramitação prevista na Universidade”, devendo, “por conseguinte, ser garantida”. [Leia mais...]

[Reitor da Ufba confirma realização de disciplina sobre o ‘golpe de 2016’]
Foto : Divulgação

Por Clara Rellstab no dia 10 de Março de 2018 ⋅ 09:30

O reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, confirmou a realização da disciplina curricular “FCH436 - Tópicos Especiais em História: O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”.

Apesar “das tentativas de se impedir a realização do componente”, Salles garantiu, em nota divulgada hoje, que a oferta respeitou toda “tramitação prevista na Universidade”, devendo, “por conseguinte, ser garantida”.

\"O Conselho Universitário reiterou a importância essencial do respeito à liberdade de cátedra no ambiente autônomo das Universidades Públicas, em conformidade com os processos legais e legítimos que amparam a oferta de disciplinas em nossas instituições”, escreveu.

A disciplina será ministrada pelo professor Carlos Sacarias e mais outros 22 docentes, e é inspirada na disciplina oferecida na Universidade de Brasília pelos docentes Luis Felipe Miguel e Karina Damous Duailibe.

Segundo a ementa do curso, a matéria tem três objetivos complementares: entender os elementos de fragilidade do sistema político brasileiro que permitiram a ruptura democrática de maio e agosto de 2016, com a deposição da presidente Dilma Rousseff; analisar o governo presidido por Michel Temer e investigar o que sua agenda de retrocesso nos direitos e restrição às liberdades diz sobre a relação entre as desigualdades sociais e o sistema político no Brasil; e perscrutar os desdobramentos da crise em curso e as possibilidades de reforço da resistência popular e de restabelecimento do Estado de direito e da democracia política no Brasil,

 

Notícias relacionadas