Cidade

Fábio Mota desconhece reunião para discutir problema da Baixa dos Sapateiros

Mais uma semana passou e o impasse entre os comerciantes da Avenida J.J Seabra, a Baixa dos Sapateiros, e a Prefeitura de Salvador continua. A reunião que estava marcada para a terça-feira (13) com representantes da Associação dos Lojistas da Baixa dos Sapateiros e Barroquinha (Albasa) foi adiada para esta quinta-feira (15) [Leia mais...]

[Fábio Mota desconhece reunião para discutir problema da Baixa dos Sapateiros]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Morais no dia 15 de Março de 2018 ⋅ 15:17

Mais uma semana passou e o impasse entre os comerciantes da Avenida J.J Seabra, a Baixa dos Sapateiros, e a Prefeitura de Salvador continua. A reunião que estava marcada para a terça-feira (13) com representantes da Associação dos Lojistas da Baixa dos Sapateiros e Barroquinha (Albasa) foi adiada para hoje.

Porém, procurado pelo Jornal da Metrópole, o secretário de Mobilidade, Fábio Mota, disse que desconhece a existência do encontro. “Eu nunca fui convidado para reunião nenhuma com o pessoal da Baixa dos Sapateiros. Todas as vezes que eles estiveram aqui eu os recebi na minha sala. Foram mais de 10 vezes. As reuniões estão sendo feitas com o gabinete, direto com João Roma”, disse, revoltado. 

Mas a indignação de Mota é rebatida pelo presidente da Albasa, Ruy Barbosa, que prometeu não desistir de lutar pela circulação dos ônibus nos terminais do Aquidabã e da Barroquinha. “Continua a mesma coisa, mas acredito que vai melhorar. Essa mudança nas linhas de ônibus afetou toda a cidade, não só a gente aqui. Acostumar o povo a isso vai ser complicado”, analisou.

Enquanto o impasse não se resolve e a Prefeitura decide sobre reuniões com Fábio Mota ou João Roma, as vendas na Baixa dos Sapateiros, considerado o maior comércio popular da cidade, vão de mal a pior.

“Comércio desaqueceu transporte”

Ainda em entrevista à Metrópole, Mota voltou a insistir na tese que a queda no comércio foi que desaqueceu o transporte na Baixa dos Sapateiros e região. “É o inverso. Não foi o transporte que desaqueceu o comércio. Hoje a quantidade de viagens é maior que no passado. O ônibus não pode ficar parado. Pessoalmente, eles [Albasa] nunca marcaram uma reunião para que eu não comparecesse. Desde que vocês começaram essa campanha nunca foi marcada uma reunião comigo”, alegou.

“Está provocando a morte”

Mas o presidente da Albasa, Ruy Barbosa, voltou a discordar das declarações de Fábio Mota. Para ele, a afirmação do secretário reflete a má vontade do Município com o centro comercial.
“Parece que eles querem tirar [os ônibus] para beneficiar o shopping. Quando ele [Fábio Mota] diz que a Baixa dos Sapateiros não tem mais atividade, ele está provocando a morte da gente. Se eu tiro o sangue, vou acabar de matar o defunto”, criticou.

Notícias relacionadas