Cidade

Sindicato deve confirmar greve dos rodoviários; presidente prega catraca livre

"Não tenho dúvida que vai ser deflagrada a greve por tempo indeterminado", diz presidente de sindicato; prefeitura consegue liminar para obrigar circulação

[Sindicato deve confirmar greve dos rodoviários; presidente prega catraca livre]
Foto : Manu Dias/GOVBA

Por Clara Rellstab no dia 22 de Maio de 2018 ⋅ 12:44

A reunião entre o Sindicato dos Rodoviários e o empresariado na manhã de hoje (22) não avançou e a assembleia da categoria, a partir das 3h da tarde, no Ginásio dos Bancários, nos Barris, deve confirmar a deflagração da greve de ônibus em Salvador.

Em entrevista à TV Bahia, o prefeito ACM Neto (DEM) afirmou que os empresários chegaram a oferecer um aumento de 2% no salário dos trabalhadoras, mas que a categoria um aumento equivalente à inflação que, no ano passado, ficou em 2,95%.

Ainda à reportagem, o democrata opinou que, dada à falta de um acordo, "os empresários podem estar querendo a greve". A prefeitura conseguiu uma liminar na Justiça para obrigar que 30% dos coletivos circulem na cidade nos horários normais e metade da frota nos horários de pico, sob pena de aplicação de multa.

Com a palavra, os rodoviários O presidente do sindicato Hélio Ferreira negou que a proposta de 2% tenha sido apresentada e que o ideal seria acima dos 3%.

"Eu não posso dizer que a greve está confirmada, porque temos a assembleia. Mas, como não teve proposta, eu não tenho dúvida que vai ser deflagrada a greve por tempo indeterminado", disse.

Segundo Ferreira, caso o contingente mínimo de 50% dos trabalhadores em atividade seja estabelecido, a orientação do sindicato é de que os coletivos rodem com a catraca livre: "para que a população ser o menos prejudicada possível".

Notícias relacionadas

[Vistoria do transporte escolar de Salvador começa hoje]
Cidade

Vistoria do transporte escolar de Salvador começa hoje

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Setembro de 2019 ⋅ 08:40 em Cidade

Segundo a Semob, o permissionário que não passar pela fiscalização até o dia 27 de setembro vai pagar multa de R$42,30 e ficará impedido de exercer a atividade