Cidade

'Informação equivocada' repassada pela Coelba intensificou caos no Aeroporto de Salvador

O diretor presidente da Concessionária do Aeroporto de Salvador explicou o que ocasionou o último apagão e atribuiu o episódio a “informações equivocadas” da Coelba

['Informação equivocada' repassada pela Coelba intensificou caos no Aeroporto de Salvador]
Foto : Leitor/Metro1

Por Bárbara Silveira no dia 18 de Outubro de 2018 ⋅ 08:26

Na última segunda-feira (15) o Aeroporto Internacional de Salvador deu mais um exemplo do motivo que faz o equipamento ser considerado um dos piores do país, conforme levantamento do Ministério dos Transportes. Mais uma vez, o problema que causou a formação de grandes filas e atrasos em diversos voos foi a falta de energia elétrica. “Meu voo estava programado para 4h20, cheguei por volta de 3h e o caos já estava formado. Pessoas sem informação e sem previsão de quando embarcariam”, contou a estudante Maria Gomes.

E esse não foi o primeiro episódio de falha de energia do local. Em janeiro, uma pane elétrica deixou o aeroporto sem luz por duas horas. Poucos meses depois, em 26 de junho, o problema voltou a acontecer. “O passageiro fica inseguro, a gente não sabe se pode confiar em comprar passagem para Salvador”, completou a estudante. 

Em entrevista ao Jornal da Metrópole, Julio Ribas, que é diretor presidente da Concessionária do Aeroporto de Salvador, explicou o que ocasionou o último apagão e atribuiu o episódio a “informações equivocadas” passadas pela Coelba. 

Vinci diz que erro da coelba aumentou problema
De acordo com o diretor presidente da Concessionária, o problema foi agravado por conta de uma informação errada repassada pela Coelba. “1h25 da madrugada foi identificada uma falha de energia elétrica e feito o contato com a Coelba. Cerca de 15 minutos depois declararam [a Coelba] que não havia falha de suprimento da alimentação externa. Isso deixou a nossa equipe bastante preocupada pois, se não foi nada externo, tinha que procurar algo interno. Houve o momento de tomada de decisão se entraríamos com o gerador ou não. Se a Coelba tivesse dito que a falha era externa, teríamos entrado com o gerador naquele momento, acho que não teríamos tido atraso […] 2h20 a Coelba entra em contato e revê a informação, afirmando que houve um problema na alimentação”, explicou. 

Gerador não foi ligado por “segurança”
Após horas sem luz, muitos passageiros questionaram o motivo do gerador do aeroporto não ter sido acionado para suprir a falta de energia. Mas, segundo Ribas, o equipamento não foi ativado por questões de segurança. 

“A preocupação era que pudesse causar alguns problemas de segurança ou começar a queimar equipamentos e isso poderia ser irreversível […] O gerador funciona bem, a gente teria controlado se a informação fosse correta […] A gente tem que assumir o compromisso com a segurança, mesmo quando, eventualmente, isso acabe causando alguma antipatia”, completou Ribas.

Ao JM, a Coelba atribuiu o problema a um defeito técnico em um componente da rede de distribuição. "A concessionária foi acionada à 1h46 e enviou uma equipe imediatamente ao local.  Diante da complexidade do serviço, já que o local é de difícil acesso (com vegetação de mata fechada), o fornecimento foi restabelecido às 05h56", disse em nota.

Notícias relacionadas