Cidade

Somos a universidade da 'balbúrdia' e nunca da barbárie, diz reitor da Ufba

João Carlos Salles citou campanha feita por pesquisadores para mostrar trabalho feito na instituição e ressignificar termo usado por ministro para justificar corte de verbas

[Somos a universidade da 'balbúrdia' e nunca da barbárie, diz reitor da Ufba]
Foto : Matheus Simoni/ Metropress

Por Juliana Almirante no dia 09 de Maio de 2019 ⋅ 08:28

O reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles, defendeu, em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã de hoje (9), que a instituição nunca será um ambiente da "barbárie", mas sim da "balbúrdia", se isso significar o trabalho feito na universidade. 

Ele citou o argumento usado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, para cortar verbas para Ufba, o que depois foi estendido para todas as instituições de ensino técnico e superior federais.

"O corte foi feito pretexto de 'balbúrdia' e insuficiente desempenho acadêmico. Tivemos que ressignificar 'balbúrdia' para primeiro reagir.  Nem poderia admitir que um dirigente poderia atribuir a instituição algo dessa ordem pelo lado pejorativo. Nossos pesquisadores começaram a postar fotso nos laboratórios. 'Tô aqui no laboratório fazendo 'balbúrdia'. Tô aqui na sala fazendo balbúrdia e tal'. Se isso é balbúrdia, então somos a universidade da 'balbúrdia', porque nunca seremos da barbárie. A universidade é um lugar de combate ao preconceito e à violência, por isso que é rica e pessoas que não tenham afinidade não entendem bem e vêem algo indecente", declarou.

Ele considera que, apesar de todos os efeitos negativos provocados pelo corte de verbas, foi positivo ver a reação da comunidade acadêmica, que se mobilizou e foi às ruas contra a medida.  "O apreço, o carinho e o amor pela Ufba. Isso nos deixou muito alegre nesse processo", considerou. 

O reitor também respondeu à crítica de suposto baixo desempenho acadêmico da universidade. "Indicadores todos mostram que melhoramos, dando continuidade a gestões passadas, em meio à restrição orçamentária que acompanha desde o início da gestão. As avaliações feitas pelo Inep e pelo Capes mostram que nossos cursos melhoraram", informou. 

Notícias relacionadas

[Ufba fica sem luz após roubo de cabos]
Cidade

Ufba fica sem luz após roubo de cabos

Por Kamille Martinho no dia 18 de Outubro de 2019 ⋅ 14:20 em Cidade

Assessoria da universidade afirma que novo material já está sendo providenciado