Cidade

Atores denunciam suposto abuso policial e injúria racial no Centro de Salvador; veja vídeo

Segundo a polícia, os envolvidos foram conduzidos para a Central de Flagrantes por terem cometido crime de desacato

[Atores denunciam suposto abuso policial e injúria racial no Centro de Salvador; veja vídeo]
Foto : Reprodução

Por Metro1 no dia 09 de Novembro de 2019 ⋅ 17:32

Os atores Rodrigo França e Aline Borges denunciaram um suposto caso de injúria racial envolvendo policiais militares e dois jovens, no Santo Antônio Além do Carmo, Centro Histórico de Salvador, neste sábado (9). Os artistas afirmaram que os militares agiram com truculência e foram racistas com os dois trabalhadores.

“Os policiais revistaram de uma maneira truculenta, que não se faz com ninguém. Uma maneira Brasil colônia. Bastante escravocrata. É inadmissível, em pleno 2019, 2020, que a gente continue permitindo que o Estado através da Polícia Militar continue fazendo isso. Ainda bem que eu estava presente. Eu não vou ser omisso”, disse o ex-BBB Rodrigo em publicação feita no Intagram, diretamente da Central de Flagrantes, no Iguatemi.

Aline relatou que os dois jovens estavam entrando em seu local de trabalho quando a polícia apareceu para detê-los sem motivo algum. Em um vídeo filmado por ela, uma outra atriz, Valéria Mona, chega a falar aos policiais que eles não poderiam agir daquela forma e pede para que os suspeitos sejam liberados.

 

 

Em contato com a assessoria da Polícia Militar, o Metro1 foi informado que por volta de 14h15 deste sábado, policiais militares da 18º Batalhão de Polícia Militar (BPM) avistaram dois indivíduos que estavam correndo e entraram em uma casa, em atitude suspeita, no Santo Antônio Além do Carmo.

Segundo a polícia, a guarnição determinou que os indivíduos parassem, a fim de saber o que realmente estava acontecendo, “quando, para a surpresa de todos, teve como resposta a negativa de um deles, inclusive passando a desacatar os policiais, preferindo palavras de calão e ameaças à vida dos mesmos”.  

A PM acrescentou que o fato correu em via pública, onde populares, sem conhecimento do que estava acontecendo, incitaram os indivíduos que estavam sendo abordado, aduzindo que a abordagem era ilegal e o único motivo era por ele ser negro. A polícia informou também que os envolvidos foram conduzidos para a Central de Flagrantes por terem cometido crime de desacato.

 

Notícias relacionadas