Cidade

Secretário prevê reabertura do comércio na próxima semana em Salvador

Léo Prates declarou que abertura de novos leitos pode garantir taxa de ocupação entre 72% e 74%, o que possibilita Fase 1 de retomada

[Secretário prevê reabertura do comércio na próxima semana em Salvador]
Foto : Max Haack/Secom/PMS

Por Matheus Simoni no dia 16 de Julho de 2020 ⋅ 09:54

O secretário municipal de Saúde, Léo Prates, afirmou que a reabertura gradual das atividades econômicas de Salvador pode começar a ocorrer a partir da próxima semana. Em entrevista a José Eduardo hoje (16), durante o Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole, ele declarou que a abertura de novos leitos destinados ao coronavírus pode viabilizar uma queda na taxa de ocupação. Segundo dados do município, o índice concentra-se em 77% nesta quinta-feira. No entanto, diante da abertura de 45 novos leitos nas redes estadual e municipal, em parceria do Governo do Estado com a Prefeitura de Salvador, a fase primária pode ser iniciada.

"Minha expectativa é que, no sábado ou domingo, nossa taxa de ocupação de leitos deve cair a 72%, iniciando a contagem regressiva para reabertura do comércio, já que são cinco dias. Todos nós ansiamos por isso, mas que seja feita com a maior segurança possível", disse Prates. Serão abertos 25 leitos no Hospital de Campanha da Arena Fonte Nova e 20 leitos de UTI no Hospital de Campanha do Wetn' Wild. "Minha previsão é que amanhã a gente atinja 72% a 74%, iniciando a contagem de reabertura. A previsão seria quinta-feira de reabertura, caso as coisas se mantenham estáveis. Estabilizando esse número, se o número de altas for igual ao que está sendo nos últimos dias, temos uma boa previsão para os próximos dias", acrescentou Prates. 

Ele ainda comentou que o processo de retomada deve garantir uma folga em caso de necessidade de um novo fechamento. Isso significaria que, após a reabertura, o comércio só voltaria a fechar se a ocupação de leitos chegar a 80%. "Tenho certeza de que o pior cenário é ficar abrindo e fechando. Estamos abrindo com uma maior folga possível, lembrando que, em determinado momento, não vai fechar se passar de novo do 75%. Se a 'banda' que chamamos chegar a 76% depois de reabrir, é necessário que passe dos 80%. Por isso a margem de segurança de abrir abaixo do 75% para que o comerciante não veja de novo seu comércio fechado", afirmou o secretário. 

Notícias relacionadas