Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cultura

Pondé defende que pessoas 'pisem na retranca' nas festas de fim de ano

Descrente do efeito da "paz na terra", filósofo também comentou período de negacionismo da sociedade

[Pondé defende que pessoas 'pisem na retranca' nas festas de fim de ano]
Foto : Metropress

Por Metro1 no dia 23 de Dezembro de 2020 ⋅ 12:49

O filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé comentou a expectativa para o período natalino em meio à pandemia de coronavírus no ano de 2020. Em entrevista a Mário Kertész hoje (23), durante o Jornal da Metrópole no Ar da Rádio Metrópole, Pondé falou que era hora das pessoas "pisarem na retranca" e diminuírem as expectativas. "É uma coisa psicológica. Eu não acredito nisso de paz na terra e nenhuma dimensão transcendente. Agora, acredito que esses rituais sempre têm um efeito psicológico. É muita gente que os investe de valor simbólico, como se diz. Esse ano eu acho que as pessoas precisam pisar um pouco na retranca, como se diz aqui em São Paulo. Não precisa investir tanto esse período de expectativas e sair por aí bebendo e fazendo bobagem. No Réveillon do ano passado, todas as previsões erraram e as promessas foram para o saco com todas as intuições que tinham", lembrou. 

Questionado por MK, Pondé também comentou o movimento negacionista contra a ciência. "A gente delirou. Vivemos magicamente, construímos teorias absurdas sobre um monte de coisa e fez o que pode para lidar com a sensação de desamparo, com o sentimento de risco e abandono porque nossa consciência é uma espécie de consciência do átomo", disse o filósofo. 

Luiz Felipe Pondé também citou o curso "Como Ler Os Clássicos", lançado por ele para popularizar grandes nomes da literatura. O curso está na segunda edição. "Meus seguidores e alunos, não necessariamente a mesma coisa, pediram muito para a empresa Doca, que administra todos os meus cursos e redes sociais, uma continuação, uma espécie de segunda temporada. Como Ler Os Clássicos 2 é uma segunda temporada e minha ideia é apresentar de forma breve cada módulo que discute cada autor. Tem 40 minutos, é breve, dividido em quatro blocos de dez minutos", comentou. 

Notícias relacionadas