Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sábado, 20 de abril de 2024

Home

/

Notícias

/

Cultura

/

Cafélier comemora 30 anos de sucesso no próximo dia 14 de abril

Cultura

Cafélier comemora 30 anos de sucesso no próximo dia 14 de abril

Um dos alavancadores do Carmo/Santo Antônio, o espaço já foi visitado por Sônia Braga, Willem Dafoe, Maria Bethânia, Antônio Carlos Magalhães, Gugu Liberato e tantos outros

Cafélier comemora 30 anos de sucesso no próximo dia 14 de abril

Foto: Tácio Moreira / Metropress

Por: James Martins no dia 02 de abril de 2024 às 10:21

Inaugurado no dia 14 de abril de 1994, o Cafélier comemora 30 anos este ano, em pleno domingo, consagrado como um dos estabelecimentos mais disputados do Carmo/Santo Antônio Além do Carmo. Aliás, também neste ano são comemorados 20 anos do café artístico, comandado por Paulo Vaz, no atual endereço (Rua do Carmo - n° 50), para onde se mudou do endereço original, no Pelourinho, em 2004.  

Nessas três décadas, o Cafélier (cujo nome é um misto de café com atelier) fez sua reputação crescer bastante e ajudar a alavancar o atual interesse que essa parte do Centro Histórico desperta. "Quando chegamos aqui, não era essa coisa toda, essa procura. Acabamos sendo um tanto pioneiros", diz o artista plástico em conversa com o Metro1. Para contar um pouco dessa história de fusão do estabelecimento com o bairro, Paulo revela ainda que pretende um dia organizar uma exposição fotográfica, reunindo diversos fotógrafos, que possa ilustrar tal passagem do tempo com imagens do entorno.

As visitas ilustres estão impressas em murais no corredor principal. Por ali passaram nomes como Sônia Braga, Willem Dafoe, Maria Bethânia, Antônio Carlos Magalhães, Gugu Liberato e tantos outros. Os clientes anônimos, no entanto, são recebidos com o mesmo carinho e atenção.

Predestinado - Fundado por acaso no Dia Mundial do Café, em um casarão de dois andares (na rua Inácio Accioly) que permitia a instalação de café + atelier = daí o nome, o Cafélier faz jus ao batismo sendo uma espécie de exposição permanente de objetos artísticos e mobiliário. Além das muitas peças do argentino Reinaldo Eckenberger, o destaque vai para uma tela enorme de Carlos Bastos, que pertenceu à lendária boate Anjo Azul, e ao grande xodó de Paulo Vaz: o balcão, que está ali após cuidadosa restauração.

Outra (se é que podem existir várias) cereja do bolo é a dedicatória assinada por Jorge Amado, hoje impressa no cardápio: "Numa xícara de café, pode-se colocar a beleza do mundo; / Numa xícara de café, pode-se sentir o sabor amargo e doce da vida". O texto foi escrito especialmente para a exposição de xícaras realizada ainda no Pelourinho, em 1997, que reuniu nomes como Juarez Paraíso e Cesar Romero.

A festa de celebração dos 30 anos será apenas para convidados, por uma questão de espaço. "Seria uma loucura fazer aberta, por causa do espaço mesmo. Muito calor, etc. Eu adoraria, mas é impossível", diz o anfitrião. O café, porém, está aberto ao público das 14h30 às 21h30, exceto às quartas-feiras.