Cultura

Letieres Leite assina direção musical do show que Maria Bethânia estreia em julho

"Claros Breus" é uma homenagem da cantora à escola-de-samba Estação Primeira de Mangueira e traz canções do disco inédito

[Letieres Leite assina direção musical do show que Maria Bethânia estreia em julho]
Foto : Divulgação

Por James Martins no dia 18 de Junho de 2019 ⋅ 10:10

Após assinar a direção musical e os arranjos do álbum ainda inédito de Maria Bethânia, o maestro Letieres Leite também será responsável pelos mesmos no show que a cantora estreia no dia 4 de julho, no Rio de Janeiro. A informação é do colunista Ronaldo Jacobina no "Correio".

O disco é uma homenagem à escola-de-samba Estação Primeira de Mangueira e tem canções como "Luz Negra", de Nelson Cavaquinho. Em estratégia inédita em sua carreira, Bethânia, no entanto, apresentará parte do repertório inédito no show "Claros Breus", antes mesmo de o álbum, que deve sair ainda este ano, ser lançado.  

No palco, ela estará acompanhada por Jorge Helder, Carlinhos 7 Cordas, Pretinho da Serrinha e dois baianos que lhe foram sugeridos pelo próprio Letieres: seus companheiros do Quinteto - Marcelo Galter (piano e sintetizadores) e Luisinho do JêJe (percussões acústica e eletrônica). 

Ainda de acordo com a publicação, após a tradicional temporada Rio-SP, o espetáculo seguirá por diversas capitais brasileiras, inclusive Salvador. As datas, no entanto, ainda não foram divulgadas. 

Sotaque - Para quem acompanha as pesquisas desenvolvidas por Letieres Leite em torno do samba e dos diversos ritmos percussivos, não é difícil imaginar que a homenagem à Mangueira virá, seguramente, matizada com toques de baianidade. O músico é especialmente crítico dos andamentos (cada vez mais rápidos) adotados pelas escolas cariocas, em parte por imposição das transmissões de tevê. Assim, talvez aqui mais do que nunca, a Mangueira será mesmo "onde o Rio é mais baiano".

Notícias relacionadas

['Rebanho' da mostra CowParade ocupa as ruas de Salvador]
Cultura

'Rebanho' da mostra CowParade ocupa as ruas de Salvador

Por Juliana Rodrigues no dia 09 de Outubro de 2019 ⋅ 14:48 em Cultura

Sessenta esculturas de vacas em tamanho real, feitas em fibra de vidro, ganharam cores e texturas e foram distribuídas por diversos pontos da cidade