Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cultura

'Ancine está destruída', afirma Wagner Moura após exibição de 'Marighella' nos EUA

Ele disse ainda: "Esse é o jeito que eles fazem hoje: a censura não é como a da ditadura militar, que dizia 'isso é proibido'"

['Ancine está destruída', afirma Wagner Moura após exibição de 'Marighella' nos EUA]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 09 de Dezembro de 2019 ⋅ 11:10

Após apresentar o filme "Marighella" no "African Diaspora International Film Festival", na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, o diretor Wagner Moura falou com a plateia: não mais que 70 pessoas, a maioria brasileiros expatriados, segundo reportagem da Folha de São Paulo. Sobre a dificuldade para lançar o longa no Brasil, ele declarou:

"Eu não gosto de falar do 'Marighella' como um caso isolado: todo o universo da cultura, no Brasil, está basicamente destruído. A Ancine está destruída. Acabada. Game over. E esse é o jeito que eles fazem hoje: a censura não é como a da ditadura militar, que dizia 'isso é proibido'".

E continuou: "Hoje eles infiltram pessoas nessas agências, e elas tornam tudo impossível de acontecer. Foi isso que fizeram com 'Marighella'. Eles acharam uma forma de tornar o lançamento impossível do ponto de vista burocrático. Mas nós iremos achar um jeito".

Ao comentar a situação geral, ele citou um artigo que escreveu para a mesma "Folha", em março de 2017, onde endossava o poder da resistência dos artistas na gestão Michel Temer. 

"Eu percebi que essas pessoas têm medo do que um artista pode fazer. Essa é a natureza da arte. Dos filmes, das peças. Essas coisas fazem as pessoas pensarem. Mesmo se não for uma produção diretamente política, ela representa uma ameaça. Então o que eu diria para os artistas, é: continue fazendo o que você faz. E, naturalmente, seja selvagem. Quanto mais radical melhor", disse.

Notícias relacionadas