Cultura

Após impasse, Palco do Rock não terá Pitty na programação do Carnaval de Salvador

Com proposta da própria cantora, produção do evento buscou recursos para bancar a apresentação, mas não obteve apoio

[Após impasse, Palco do Rock não terá Pitty na programação do Carnaval de Salvador]
Foto : Divulgação / Otávio Sousa

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Fevereiro de 2020 ⋅ 08:31

A produção do Palco do Rock, tradicional evento alternativo do Carnaval de Salvador, confirmou que a cantora Pitty não irá se apresentar na 26ª edição do festival, marcada para ocorrer entre os dias 22 e 25 de fevereiro. A possibilidade chegou a ser ventilada durante a última semana, mas de acordo com a produtora Sandra de Cássia, não foi possível obter recursos extras para bancar os custos da apresentação. 

"A gente teve uma proposta que a gente considera demanda espontânea, que partiu da Pitty, e ela colocou um valor bastante interessante, de menos de R$ 100 mil. Infelizmente o nosso poder público não contribuiu pra que a gente conseguisse finalizar a negociação. Estamos deixando isso aí para o ano que vem", declarou ao Metro1.

Segundo Sandra, mesmo com o retorno positivo do secretário municipal de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco, que ofereceu apoio no valor de R$ 50 mil, o governo do Estado foi irredutível. "Não queremos nos tornar ainda mais persona non grata, não queremos criar polêmica com o Estado e a prefeitura, mas está aí a realidade pra quem quiser observar, do tratamento dos órgãos da cultura em relação ao rock da nossa cidade", reclamou.

A produtora ainda ressaltou que a organização do evento não irá usar o recurso disponibilizado pela Secult municipal para a apresentação da cantora. "Esse valor só nos serviria caso a gente conseguisse a demanda restante", afirmou Sandra. O evento é viabilizado tanto com recursos da prefeitura quando do governo do estado.

Ao Metro1,  a Secretaria de Cultura do Estado informou que "reconhece a importância do Palco do Rock, mas que para o Carnaval realiza apoio por dois editais, um para os blocos de matriz africana, o Carnaval Ouro Negro e o Carnaval do Pelô, que contrata Microtrio, Nanotrio, Performance, Bandas de percussão e cordas, fanfarras, além de bandas e artistas para apresentação nos largos". "Assim, o investimento para o Carnaval está direcionado para esses dois chamamentos públicos", diz a nota. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo não se posicionou até o momento.

Notícias relacionadas

[Sambista Riachão morre aos 98 anos]
Cultura

Sambista Riachão morre aos 98 anos

Por Matheus Simoni e James Martins no dia 30 de Março de 2020 ⋅ 10:05 em Cultura

Riachão é compositor de sambas como "Cada Macaco no Seu Galho" e "Vá Morar Com o Diabo" e planejava lançar um álbum ainda neste ano