Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quarta-feira, 12 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Economia

/

BNDES precisa criar linha de crédito para perdas e danos climático, diz diretor

Economia

BNDES precisa criar linha de crédito para perdas e danos climático, diz diretor

Fala foi feita no evento global sobre financiamento climático, que reuniu representantes de bancos de desenvolvimento e representantes de governos do G20; Nelson Barbosa também defendeu a criação de uma linha de crédito para a reconstrução do Rio Grande do Sul

BNDES precisa criar linha de crédito para perdas e danos climático, diz diretor

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Por: Metro1 no dia 20 de maio de 2024 às 17:05

O diretor de Planejamento e Estruturação de Projetos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Nelson Barbosa, defendeu que os bancos de desenvolvimento criem linhas de crédito para situações de perdas e danos climáticos. A fala foi feita no evento global sobre financiamento climático, que reuniu representantes de bancos de desenvolvimento e representantes de governos do G20. 

De acordo com Barbosa, com a nova realidade de mudanças climáticas os bancos de desenvolvimento também vão ter que pensar em como lidar e acompanhar os efeitos que esses fenômenos causam, como os refugiados climáticos. Ele também defendeu a criação de uma linha de crédito para a reconstrução do Rio Grande do Sul.  

“O volume dos recursos envolvidos e o prazo necessário tornam inevitáveis uma participação mais direta do governo [...]Nesse momento, a gente enfrenta um novo desafio devido aos eventos climáticos do Rio Grande do Sul, que irão requerer uma linha de crédito especial para reconstrução. Já temos linhas para mitigação e para adaptação, agora temos que pensar também em linhas para cuidar de perdas e danos”, destacou o diretor do banco.

Atualmente, o BNDES já administra o Fundo Clima, mantido com recursos da União, para financiar a transição climática no país, com juros subsidiados. Hoje o fundo conta com US$ 2 bilhões (cerca de R$10 bilhões).