Economia

Receita com streaming de música supera vendas físicas

Em 2017, a receita dos serviços de streaming por assinatura representou 38% de toda a música gravada, em comparação com os 29% registrados no ano anterior. [Leia mais...]

[Receita com streaming de música supera vendas físicas ]
Foto : Divulgação/Spotify

Por Marina Hortélio no dia 24 de Abril de 2018 ⋅ 17:41

A renda gerada pelos serviços de streaming de música, como o Spotify e Apple Music, se tornou a maior fonte isolada de arrecadação da indústria musical, depois de superarem as vendas físicas e os downloads digitais pela primeira vez. Os dados foram divulgados hoje pelo relatório da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês).

Ainda segundo o documento, o progresso registrado nos últimos três anos pela industria fonográfica mundial foi influenciado pelo rápido crescimento dos serviços distribuição digital de música, registrado no últimos ano. Em 2017, a receita dos serviços de streaming por assinatura representou 38% de toda a música gravada, em comparação com os 29% registrados no ano anterior.

Apesar dos avanços, a indústria de música não foi capaz de se recuperar da queda na venda de música criada pela ascensão do serviço de compartilhamento de arquivos Napster. As receitas para 2017 ainda são apenas 68,4% do pico do mercado em 1999, quado o mercado começou a sofrer as perdas.

Notícias relacionadas

[Comércio varejista cresce 1% em julho, diz IBGE]
Economia

Comércio varejista cresce 1% em julho, diz IBGE

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Setembro de 2019 ⋅ 13:20 em Economia

Segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), sete das oito atividades pesquisadas tiveram alta nas vendas