Economia

Presidente da Fieb pede ‘cuidado’ no uso do Exército contra protestos dos caminhoneiros

Ricardo Alban afirmou que país vai “sofrer pesadamente” se paralisação não for encerrada

[Presidente da Fieb pede ‘cuidado’ no uso do Exército contra protestos dos caminhoneiros]
Foto : Marcelo Gandra/Coperphoto/Sistema FIEB

Por Rodrigo Daniel Silva/Gabriel Nascimento no dia 28 de Maio de 2018 ⋅ 08:37

O presidente da Fieb (Federação das Indústrias do Estado da Bahia), Ricardo Alban, pediu “cuidado” do governo federal no uso das Forças Armadas contra o movimento dos caminhoneiros.

“Tudo que envolve as Forças Armadas, o Exército, tem que ser ponderado com muito cuidado. Não significa que está ligado à ditadura, mas, por ter esse passado, temos que ter atenção. Faltou proatividade [do governo] no primeiro momento, mas não podemos ficar a reboque de radicalismo”, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole.

Alban ressaltou que o problema hoje do estado brasileiro é que “grande e pesado demais” “Temos que ter um estado mais leve. Precisamos ir para a realidade que o país comporta”, disse, ao criticar o “problema estrutural” do país.

“Os caminhoneiros têm seus méritos, mas não podem ficar em detrimento da população. Eles precisam trazer essa cidade para o lado deles. Vamos sofrer pesadamente nos próximos dias se continuar esse impasse”, ressaltou.

Notícias relacionadas