Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Economia

Com superministério de Paulo Guedes, órgãos colegiados devem mudar

Para técnicos do atual governo, a junção retira sentido de existência da Camex

[Com superministério de Paulo Guedes, órgãos colegiados devem mudar]
Foto : Bruna Prado/Apex Brasil

Por Lara Ferreira no dia 02 de Novembro de 2018 ⋅ 07:30

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) e o Conselho Monetário Nacional (CMN) vão precisar ser recompostos em um cenário com superministério da Fazenda comandado por Paulo Guedes, de acordo com a coluna de Maria Cristina Frias na Folha. 

Na gestão do presidente eleito Jair Bolsonaro, o Ministério do Planejamento e o da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) devem se unir ao da Fazenda. 

Na opinião de técnicos do atual governo, a fusão torna a Camex sem sentido, mesmo que pastas não extintas permaneçam nela, com representantes da Casa Civil e da Agricultura. 

As decisões do Mdic são referentes aos comércio exterior, incluindo turismo, mas os votos da pasta e da Fazenda costumam ser centrais, porque representam interesses distintos e, por vezes, contrários.

Na análise da colunista, se o primeiro deixar de existir, deixará de haver ponderação considerada pelos técnicos, o que seria essencial para deliberações dentro da câmara.

Notícias relacionadas