Economia

De cada 4 usuários de cartão, 1 entrou no crédito rotativo, diz pesquisa

Segundo dados da CNDL e do SPC Brasil, em fevereiro, 37% dos consultados optaram pelo cartão para fazer algum tipo de compra

[De cada 4 usuários de cartão, 1 entrou no crédito rotativo, diz pesquisa]
Foto : USP Imagens

Por Juliana Rodrigues no dia 24 de Abril de 2019 ⋅ 13:00

A cada quatro brasileiros que fizeram compras no cartão de crédito, um deles (25%) entrou no rotativo, uma das modalidades de empréstimo mais caras do mercado. A linha é usada por quem atrasa a fatura ou paga menos que o valor integral por mais de 30 dias. Os dados se referem ao mês de fevereiro e constam de uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgada hoje (24) pelo G1.

Para usar o rotativo, o consumidor paga qualquer valor entre o mínimo e o total da fatura. O restante é automaticamente financiado e lançado no mês seguinte, com juros que podem chegar a 286,9% ao ano. A taxa só é menor que a do cheque especial.

O levantamento aponta que, em fevereiro, 37% dos consultados optaram pelo cartão para fazer algum tipo de compra. É a primeira opção de crédito do brasileiro, bem à frente do crediário, usado por 10% dos consumidores. Já o limite do cheque especial foi citado por 9%, enquanto os empréstimos e financiamentos foram utilizados por 7% e 5%, respectivamente. Ao todo, 44% dos consumidores utilizaram, ao menos, uma dessas opções de crédito ao longo do mês de fevereiro, ante 56% que não usaram nenhuma.

Notícias relacionadas

[Governo bloqueará R$ 3 bilhões do orçamento]
Economia

Governo bloqueará R$ 3 bilhões do orçamento

Por Kamille Martinho no dia 21 de Maio de 2019 ⋅ 19:30 em Economia

Técnicos da equipe econômica estimavam que seria necessário segurar de R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões dos gastos previstos para o ano

[Rival da Uber é processada por investidores]
Economia

Rival da Uber é processada por investidores

Por Leo Sousa no dia 18 de Maio de 2019 ⋅ 18:45 em Economia

Lyft teve desvalorização brusca das ações; acionistas acusam a empresa de fornecer informações enganosas