Economia

IPCA aponta deflação de 0,04% em setembro

Destaques foram o tomate (-16,17%), maior impacto individual negativo no índice do mês

[ IPCA aponta deflação de 0,04% em setembro ]
Foto : EBC

Por Juliana Almirante no dia 09 de Outubro de 2019 ⋅ 12:00

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de setembro variou -0,04%, em todo o país, enquanto a taxa registrada em agosto foi de 0,11%. A informação foi divulgada hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Este resultado é o menor registrado para o mês de setembro desde 1998, quando o IPCA ficou em -0,22%.

No acumulado do ano, o índice registrou 2,49%. Nos últimos 12 meses, ficou em 2,89%, abaixo dos 3,43% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em setembro do ano passado, a taxa era de 0,48%.

Três entre os nove grupos pesquisados apresentaram deflação de agosto para setembro, com destaque para o grupo  de alimentação e bebidas (-0,43%), responsável pela maior contribuição negativa no IPCA de setembro, com -0,11%. 

De acordo com o IBGE, os produtos alimentícios e as bebidas apresentaram a queda mais intensa na comparação com o mês anterior (-0,35%), especialmente por conta da alimentação fora de casa, cuja alta passou de 0,53% em agosto para 0,04% em setembro.

Já a alimentação no domicílio (-0,70%) caiu pelo quinto mês consecutivo, embora esta tenha sido menos intensa que a registrada em agosto (-0,84%).

Os destaques foram o tomate (-16,17%), maior impacto individual negativo no índice do mês (-0,04 p.p.), a batata-inglesa (-8,42%), a cebola (-9,89%) e as frutas (-1,79%). 

Notícias relacionadas

[Setor de serviços cai 0,2% em agosto, diz IBGE]
Economia

Setor de serviços cai 0,2% em agosto, diz IBGE

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Outubro de 2019 ⋅ 11:20 em Economia

Índice representa o quinto resultado negativo registrado em 2019 e foi puxado pela queda nas atividades ligadas aos transportes

[Vendas do varejo caem -1,0% de julho para agosto na Bahia]
Economia

Vendas do varejo caem -1,0% de julho para agosto na Bahia

Por Juliana Almirante no dia 10 de Outubro de 2019 ⋅ 12:40 em Economia

Resultado foi alcançado na série livre de influências sazonais, depois do crescimento de 2,4% que havia sido registrado na passagem entre junho para julho