Economia

Maia admite corte de salário de parlamentares para combater o coronavírus

Presidente da Câmara alerta que este é o momento de injetar recursos na economia; se o governo não entender que é preciso gastar, "fica muito difícil"

[Maia admite corte de salário de parlamentares para combater o coronavírus]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Luciana Freire no dia 23 de Março de 2020 ⋅ 18:21

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (23), em entrevista à CNN Brasil, que o presidente Jair Bolsonaro pode realocar verbas do Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral para combater o coronavírus.

Maia também admitiu a possibilidade de redução de salário de parlamentares, bem como de outros servidores do Executivo e do Judiciário, com o mesmo objetivo.

O presidente da Câmara se preocupou em alertar que este é o momento de injetar recursos na economia. Para ele, se o governo não entender que é preciso gastar, "fica muito difícil".

"Todo poder público vai ter que contribuir. Transferir isso para o parlamentar é fazer apenas um gesto importante, mas que não tem nenhum impacto fiscal. Acho que os três Poderes vão ter que contribuir: Legislativo, Executivo e Judiciário. Os salários no nível federal são o dobro no seu equivalente no setor privado", disse Maia.

Notícias relacionadas

[Preços do petróleo sobem mais de 13% ]
Economia

Preços do petróleo sobem mais de 13%

Por Luciana Freire no dia 03 de Abril de 2020 ⋅ 21:30 em Economia

Alta corresponde a expectativa de que um acordo global para cortes de oferta da commodity possa surgir no início da semana que vem

[Dólar sobe e é vendido a R$ 5,26]
Economia

Dólar sobe e é vendido a R$ 5,26

Por Luciana Freire no dia 02 de Abril de 2020 ⋅ 21:00 em Economia

Ibovespa teve alta em sessão marcada pelos mercados globais do petróleo voláteis

[Bolsas da Europa fecham em queda]
Economia

Bolsas da Europa fecham em queda

Por Luciana Freire no dia 01 de Abril de 2020 ⋅ 17:40 em Economia

As ações de bancos estiveram entre os piores desempenhos, uma vez que suspenderam o pagamento de dividendos