Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Esportes

STJD instaura inquérito para apurar acusação de racismo envolvendo meia do Bahia

Volante Gerson, do Flamengo, acusou Ramírez após episódio em dezembro

[STJD instaura inquérito para apurar acusação de racismo envolvendo meia do Bahia]
Foto : Divulgação/ECB/Felipe Oliveira

Por Metro1 no dia 14 de Janeiro de 2021 ⋅ 16:00

A denúncia de racismo feita pelo volante Gerson do Flamengo contra o meia colombiano Ramirez, do Bahia se tornou alvo de inquérito. Uma investigação foi iniciada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para apurar o caso, que também está sendo investigado pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância, do Rio de Janeiro.

Para dar início aos trabalhos, a procuradoria do órgão solicitou imagens da partida. Além de Ramirez e Gerson, os jogadores Natan e Bruno Henrique, do Flamengo, o técnico Mano Menezes, ex-Bahia, o árbitro da partida e seus auxiliares serão ouvidos. Natan e Bruno devem depor porque teriam ouvido o momento em que Ramirez teria chamado Gerson de negro. Por sorteio, o processo ficou sob os cuidados do auditor Maurício Neves.

O episódio aconteceu na vitória por 4x3 do Flamengo sobre o Bahia pelo Campeonato Brasileiro. Após o jogo, o volante do Flamengo afirmou que o colombiano teria falado para ele: 'cala boca, negro'. O volante chegou a reclamar com Mano Menezes, então técnico do Bahia, que teria minimizado a situação. 

O colombiano negou as acusações. Depois do episódio o Bahia chegou a afastar o meia das atividades, e iniciar uma apuração interna. Sem comprovação da injúria, Ramirez foi reintegrado ao time. A pena prevista no Código Brasileiro de Justiça Desportiva, para casos como esse é de suspensão entre cinco e dez partidas no caso de atleta, além de multa, de R$ 100 a R$ 100 mil.

Notícias relacionadas