Domingo, 15 de maio de 2022

Esportes

Rogério Caboclo: Comissão de Ética da CBF altera denúncia de assédio para 'conduta inapropriada'

Instituição decide afastá-lo por 15 meses; penalidade é considerada branda

Rogério Caboclo: Comissão de Ética da CBF altera denúncia de assédio para 'conduta inapropriada'

Foto: Divulgação/CBF

Por: Luciana Freire no dia 24 de agosto de 2021 às 19:30

Acusado por uma funcionária de assédio sexual e moral, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, teve sua pena definida pela Comissão de Ética da entidade. Ao todo, ele ficará afastado do cargo por 15 meses.

A decisão ainda precisa ser alvo de deliberação da assembleia geral da CBF, composta pelas 27 federações estaduais. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

A decisão acabou se mostrando branda pois com este tempo de afastamento, Caboclo poderá retomar seu mandato, que vence apenas em abril de 2023. Ele está afastado desde 6 de junho, a pena vai até setembro de 2022.

E também porque a acusação inicial foi retirada da denúncia. Ao invés de assédio sexual e moral, Caboclo foi punido por "conduta inapropriada".

Importante lembrar que gravações mostraram que o dirigente fazia perguntas à funcionária como "Você se masturba?" além de oferecer biscoito de cachorro para ela.

Rogério Caboclo: Comissão de Ética da CBF altera denúncia de assédio para 'conduta inapropriada' - Metro 1