Esportes

Congresso articula criação de CPI da Copa; obras da Fonte Nova estariam na mira

Eles vão utilizar dados da Operação Lava Jato e a quebra de sigilo bancário e telefônico de dirigentes para analisar suspeitas de corrupção envolvendo membros do Comitê Organizador Local e até na construção de estádios e obras realizadas durante o Mundial [Leia mais...]

[Congresso articula criação de CPI da Copa; obras da Fonte Nova estariam na mira]
Foto : Divulgação / Arena Fonte Nova

Por Pedro Sento Sé no dia 24 de Fevereiro de 2016 ⋅ 11:11

Membros do Congresso articulam uma CPI para investigar os contratos firmados durante a Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil. Eles vão utilizar dados da Operação Lava Jato e a quebra de sigilo bancário e telefônico de dirigentes para analisar suspeitas de corrupção envolvendo membros do Comitê Organizador Local e até na construção de estádios e obras realizadas durante o Mundial.

A nova CPI vai pegar o gancho da atual da CPI do Futebol que é presidida pelo senador Romário (PSB-RJ) e que acaba em maio. Senadores já começam a montar uma estratégia para dar sequência as investigações, de acordo com o Estadão.

Ainda segundo a publicação, “um informe do Tribunal de Contas da Bahia revelou sobrepreço nas obras da Arena Fonte Nova. Em 2010, o estádio foi erguido graças a um contrato entre o governo estadual e um consórcio que incluía a Odebrecht e a OAS. O Tribunal concluiu que, no acordo de parceria público-privada, o valor repassado pela Bahia às construtoras, de mais de R$ 107 milhões por ano até 2025, seria "excessivo". Outros estádios que estariam na mira das investigações seriam a Arena Corinthians, Arena Pernambuco e o Maracanã.

O ex-presidentes da CBF, José Maria Marin e Ricardo Teixeira, além do presidente licenciado da entidade, Marco Polo Del Nero

Notícias relacionadas

[Carol Solberg recorre de advertência ao Pleno do STJD]
Esportes

Carol Solberg recorre de advertência ao Pleno do STJD

Por Luciana Freire no dia 19 de Outubro de 2020 ⋅ 22:00 em Esportes

Na última terça (13), em julgamento em primeira instância, ela foi condenada, por três votos a dois, por descumprir regulamento, ao falar "Fora Bolsonaro" após uma partid...