Esportes

Ídolo uruguaio lamenta ausência de Suárez em jogo contra o Brasil

Ex-jogador e ex-treinador de futebol, o uruguaio Pablo Forlán conversou com a equipe dos Campeões da Bola da Rádio Metrópole, única emissora baiana presente na transmissão do duelo entre Uruguai e Brasil, sobre a partida válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018, na Rússia. [Leia mais...]

[Ídolo uruguaio lamenta ausência de Suárez em jogo contra o Brasil]
Foto : Rafael Ribeiro/CBF

Por Matheus Simoni no dia 22 de Março de 2017 ⋅ 14:53

Ex-jogador e ex-treinador de futebol, o uruguaio Pablo Forlán conversou com a equipe dos Campeões da Bola da Rádio Metrópole, única emissora baiana presente na transmissão do duelo entre Uruguai e Brasil, sobre a partida válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018, na Rússia. As duas equipes se enfrentam nesta quinta-feira (23), no estádio Centenário, em Montevidéu, pela 13ª rodada da fase classificatória.

Ídolo do São Paulo na década de 70, Forlán comentou a ausência do atacante Luis Suárez, que está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. "É um jogo duro e difícil. É um clássico e por ser um clássico, o resultado é incerto. Não dá para falar quem vai ganhar. O Brasil está em primeiro, o Uruguai em segundo. Mas o Uruguai tem uma falta importante, que é a do Luis Suárez. Sem dúvidas ele é um dos cinco melhores atacantes do mundo. É um camisa 9, assim como Benzema, Ibrahimovic e Kun Aguero. Mas Suárez faz uma falta muito grande para o Uruguai, que tem jogadores importantes, como o Hernández e Stuani. Mas Suárez é Suárez. Titular é titular, reserva é reserva. Suárez é um titular indiscutível", disse Forlán. 

Pablo também falou sobre a carreira do filho, o atacante Diego Forlán, um dos principais jogadores da história do país, com passagens por times como Manchester United-ENG, Internazionale-ITA e Atlético de Madrid-ESP. Atualmente, o atleta de 37 anos atua pelo Mumbai City, da Índia, e não pensa em pendurar as chuteiras.

"Ele está bem, veio jogando nos últimos três meses do ano passado na Índia em um torneio muito bom. Lá há dois torneios: um que dura todo ano e essa superliga, que são oito equipes importantes. Ele foi muito bem, está contente. Se joga quarta e domingo. Não precisa treinar muito, poupa-se para os jogos", afirmou o ex-lateral direito.

Notícias relacionadas