Esportes

Jornal Argentino esquece rivalidade e classifica Neymar como 'sétima maravilha'

Após a grande atuação de Neymar no último jogo da Seleção Brasileira, na quinta-feira (23), contra o Uruguai, nem os hermanos argentinos puderam negar o talento do camisa 10. Com o golaço do atacante, o terceiro gol da vitória por 4 a 1 da seleção Canarinho, ojornal Olé afirmou que o jogador do Barcelona é a “sétima maravilha do mundo” na reportagem feita sobre o duelo. [Leia mais...]

[Jornal Argentino esquece rivalidade e classifica Neymar como 'sétima maravilha']
Foto : Divulgação

Por Laura Lorenzo no dia 24 de Março de 2017 ⋅ 15:55

Após a grande atuação de Neymar no último jogo da Seleção Brasileira, na quinta-feira (23), contra o Uruguai, nem os hermanos argentinos puderam negar o talento do camisa 10. Com o golaço do atacante, o terceiro gol da vitória por 4 a 1 da seleção Canarinho, o jornal Olé afirmou que o jogador do Barcelona é a “sétima maravilha do mundo” na reportagem feita sobre o duelo.

“Sem dúvidas, é a melhor seleção Sul-Americana do momento. O Brasil está a um passo de sentenciar a sua classificação ao Mundial depois de golear o Uruguai no Centenário: foi um 4 a 1 elaborado através da força e dos luxos de Neymar. O craque do Barcelona foi de tirar o chapéu. Literalmente: fez o 3 a 1 para definir com uma classe impressionante sobre Martín Silva. Até mesmo os charruas queriam aplaudi-lo. Além disso, Neymar passeou várias vezes pelos marcadores, que tiveram que recorrer de forma repetida a faltas para pará-lo”, descreve o jornal argentino.

A atuação do atacante rendeu ainda elogios de outros portais da Argentina, como o 'La Nación', que afirmou que “com um Neymar superlativo em Montevidéu, o Brasil fica perto do Mundial da Rússia”. Respondendo às perguntas de “como marcá-lo?”, o jornal disse apenas: “durmam em seu pé”. "O Uruguai inteiro cruzava os dedos quando Neymar tinha a bola", completou a publicação.

O 'Clarín' também não deixou o show apresentado pelo camisa 10 da seleção brasileira passar batido: “O ex-santista comandava cada ataque do time visitante como critério e habilidade. Se havia alguém que merecia marcar um gol na noite do Centenário era ele”, dizia a publicação.

Notícias relacionadas