Esportes

'Torcedor entende pouco e torce muito', diz Paulo Carneiro após críticas da torcida do Vitória

'A gente dirige um clube de massa. Tem que tentar ver o pensamento da maioria', acrescentou o dirigente

['Torcedor entende pouco e torce muito', diz Paulo Carneiro após críticas da torcida do Vitória]
Foto : Tony Carneiro/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 20 de Setembro de 2019 ⋅ 16:04

O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, comentou a escolha pelo técnico Geninho, novo comandante do time até a reta final da Série B do Brasileirão. O mandatário rubro-negro declarou que tentou levar em conta o que parte da torcida pediu.

"O torcedor entende pouco e torce muito... por isso que é torcedor. Mas como torce muito, se acha no direito de dar opinião. A gente dirige um clube de massa. Tem que tentar ver o pensamento da maioria. A maioria nunca é burra. Pensei nisso. Um treinador que preenchesse todas as coisas", disse Paulo Carneiro.

O dirigente ainda aproveitou para elogiar os trabalhos passados de Geninho. Aos 71 anos, o treinador chega a sua quinta passagem pelo Vitória. Ele comandou o Leão em outras quatro oportunidades (1994, 1995, 1998 e 2001). "O papel do clube é girar em torno de seu treinador. Trouxe dois treinadores jovens, mas não menos capazes, porque é uma filosofia que o clube entregou em toda sua vida. Trabalhei com Geninho antes em duas ocasiões. Eu pensei em Geninho antes, ele estava na Europa antes, sempre penso nele. Temos uma relação pessoal, é um profissional respeitado no mercado. Eu sempre penso nele porque temos que devolver a mentalidade vencedora do Vitória. A vinda de Geninho tem tudo a ver com o momento do Vitória", afirmou.

Geninho diz que não é 'salvador da pátria'

Apresentado, Geninho terá uma árdua missão pela frente. Nas próximas semanas, o time vai enfrentar os três primeiros colocados da competição. Neste momento, o Vitória ocupa a 15ª posição da Série B, com 24 pontos, a um do primeiro clube no Z-4. 

"Eu chego realmente com o coração muito aberto, com uma expectativa muito boa de, mais uma vez, poder colaborar com o clube. Eu não chego como 'salvador'. Chego como uma pessoa que veio tentar fazer um bom trabalho, tentar ajudar um grupo que eu acho que é um grupo bom, grupo de jogadores de qualidade. Até para fazer com que esse grupo renda o melhor possível, para que o Vitória possa, ao final dessa competição, estar num lugar onde o Vitória faz jus", disse o técnico. 

 

Notícias relacionadas