Esportes

Vitória apresenta protocolo de retorno aos treinos e presidente critica Bolsonaro: 'Tinha que internar'

Antes defensor do presidente da República, mandatário rubro-negro critica demissão de Mandetta e chama Bolsonaro de 'louco furioso'

[Vitória apresenta protocolo de retorno aos treinos e presidente critica Bolsonaro: 'Tinha que internar']
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 15 de Maio de 2020 ⋅ 10:02

O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, afirmou que o clube vai apresentar um protocolo de retorno aos treinos para a prefeitura de Salvador, com objetivo de retornar às atividade em meio pandemia de coronavírus. Em entrevista a José Eduardo na Rádio Metrópole hoje (15), ele declarou que, embora tente um retorno à normalidade, está alinhado com a gestão municipal para tentar encontrar uma solução.

"Estamos entregando a prefeitura um protocolo pedindo para treinar. Vamos aguardar a manifestação da prefeitura. Mas, com todo respeito e sem confrontar nada, estamos completamente alinhados à política sanitária do governo, que tem sido muito bem sucedida, diga-se de passagem. Estamos, como cidadãos, satisfeitos de ver as medidas sendo tomadas e as estatísticas do controle da epidemia na Bahia. Estamos entre os melhores na política sanitária", afirmou Paulo Carneiro. 

Questionado sobre uma possível data para retorno do futebol brasileiro, o presidente disse que não pensa em uma data tão próxima, como meados de junho e julho. "Antes de agosto não acontece nada. Se a curva está crescendo, tivemos 26 mortes num dia ontem. Como posso pensar em junho? Estamos em maio, não consigo pensar em junho", apontou o mandatário rubro-negro, que aproveitou para criticar o presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido). Antes defensor de Bolsonaro, Paulo Carneiro declarou que ele é um "louco furioso" e reclamou da demissão do ministro da Saúde, Henrique Mandetta.

"Temos um país em que vivemos essa politicagem. O ministro da Saúde sai com a política e o presidente desqualifica o ministro publicamente. Por que não fez isso a portas fechadas e alinhar? Tudo era jogo político. O cara tinha 70% de aprovação, vamos tirar o cara e o povo paga essa conta. Defendi como nunca o atual presidente da República, mas não sou cego e nem fanático. Sou cidadão e esse cara é um louco furioso e tinha que internar", criticou.

Ainda segundo Paulo Carneiro, as divisões de base do clube só devem retomar as atividades em 2021. "A intenção minha é esquecer a base até dezembro. Não vai ter competição nenhuma enquanto não resolver questão de passagem e hospedagem. Tenho 70 meninos hospedados no clube, como vou hospedar lá? Além do curso de alimentação e tudo. Ficam em casa, pago o contrato de formação, mantenho os direitos federativos do clube, preservo os ativos e como fizemos um acordo com os empresários, permitindo pagamento de 30% da folha, reduzimos de forma importante", disse o dirigente. 

Notícias relacionadas