Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Terça-feira, 11 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Internacional

/

Primeiro-ministro do Reino Unido antecipa eleições gerais e dissolve Parlamento

Internacional

Primeiro-ministro do Reino Unido antecipa eleições gerais e dissolve Parlamento

Com a decisão, em caso de não reeleição, o país terá o seu quarto primeiro-ministro em um ano

Primeiro-ministro do Reino Unido antecipa eleições gerais e dissolve Parlamento

Foto: Flickr/The Pursuit Room

Por: Metro1 no dia 22 de maio de 2024 às 15:47

Atualizado: no dia 22 de maio de 2024 às 16:22

O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, convocou eleições antecipadas no país, nesta quarta-feira (22), e dissolveu o Parlamento. De acordo com Sunak, as novas eleições acontecerão no próximo dia 4 de julho. No calendário atual, o pleito deveria acontecer somente em janeiro de 2025. 

Com a decisão, em caso de não reeleição, o país terá o seu quarto primeiro-ministro em um ano. Até mesmo os membros de sua sigla, o Partido Conservador, foram pegos de surpresa pela decisão. 

No fim de 2022, Sunak assumiu o poder após renúncia do ex-premiê Boris Johnson, e já havia apontado a pretensão de convocar as eleições gerais ainda em 2024, mas a expectativa é que no fim do ano. 

As informações da imprensa local afirmam que a decisão de antecipar o pleito surgiu após a divulgações de dados econômicos positivos para seu governo. Segundo o jornal britânico “The Guardian”, os membros do partido convenceram Sunak de que esses números não melhorariam até o fim do ano.

Durante o anúncio, Sunak não informou se vai se candidatar à reeleição. No Reino Unido, quando um primeiro-ministro renuncia ao cargo, seu partido pode eleger um substituto internamente, no lugar de fazer eleições gerais.

O Partido Conservador escolheu para Truss para substituir Johnson, mas ele ficou apenas 44 dias no cargo. Em uma nova votação interna, os conservadores elegeram então Rishi Sunak, que assumiu com a promessa de conter a inflação e reabastecer a economia.

"Nos últimos cinco anos, nosso país passou pelo momento mais desafiador desde a Segunda Guerra Mundial", disse o primeiro-ministro. "Nunca deixaria este país na sombra, e vocês viram isso. Nossa economia está caminhando mais rápido que qualquer pessoas tenha previsto", completou. 

Ainda segundo o The Guardian, a família real reduzirá seus compromissos em meio à campanha. “A família real irá - de acordo com o procedimento normal - adiar compromissos que possam parecer desviar a atenção ou desviar a atenção da campanha eleitoral. Suas majestades enviam as suas sinceras desculpas a qualquer um daqueles que possam ser afetados como resultado", disse um porta-voz do Palácio de Buckingham.