Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

Jornal Metropole

Com humor e crítica, Prêmio JM consagra personalidades mais marcantes de 2023

Com a proximidade do final do ano, o Jornal Metropole relembra e premia as melhores gafes, declarações e feitos do ano

Com humor e crítica, Prêmio JM consagra personalidades mais marcantes de 2023

Foto: Metropress

Por: Mariana Bamberg no dia 30 de novembro de 2023 às 08:56

Atualizado: no dia 01 de dezembro de 2023 às 08:24

Reportagem publicada originalmente no Jornal Metropole em 30 de novembro de 2023

É só dezembro pensar em dar as caras que as passas já se metem em tudo quanto é canto e os baianos deixam de se dividir entre direita e esquerda, Bahia e Vitória, e colocam uma generosa barreira entre os fãs e os haters dessa querida fruta desidratada. A voz de Simone praticamente se infiltra até no nosso subconsciente perguntando o que fizemos durante o ano. É o clima natalino, que o Jornal Metropole, claro, não deixaria passar batido. Afinal, de fãs e haters entendemos e quando o assunto é pegar no pé daqueles que fizeram coisas erradas, somos especialistas. Mas nada de amigo-secreto. A brincadeira da vez será o Prêmio JM, para consagrar as personalidades que, seja para o bem ou para o mal, marcaram o ano de 2023. Então prepare a pipoca e acompanhe as nossas categorias e os grandes vencedores.

1 - Categoria “O Cara de Pau”

Nossa primeira premiação não tem surpresa nem mistério. E o mérito é integralmente do nosso vencedor, que caprichou na mudança de opinião. E, tudo bem, quem nunca passou a pensar de outra forma, não é mesmo? Mas para disputar esta categoria, é preciso uma virada de casaca muito arrojada e corajosa. Nisso, o ex-deputado federal Marcelo Nilo não deixou nada a desejar. Em 2015, enquanto ocupava o cargo de presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), ele deu início a uma campanha incisiva para acabar com o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA). E olha só, neste ano resolveu empenhar seus esforços para angariar uma vaguinha na mesma Corte. Radical, não é? Podem dar o troféu a ele.


Foto: metropress/Luiz Filipe

2 - Categoria “Conge”

Se tem uma herança positiva que o agora senador Sérgio Moro nos deixou, com certeza, é a palavra “conge” e os risos que ela nos garante. Quem não lembra da cena do então ministro tentando falar “cônjuge” e se confiando no “conge”? Nossa próxima categoria é em homenagem a ele e o troféu vai para o secretário de Infraestrutura e Obras Públicas de Salvador (Seinfra), Luiz Carlos de Souza, que prometeu lojas de “suvinil” para os turistas em um projeto no Centro Histórico da cidade. Talvez quem venha visitar a capital baiana prefira souvenir, mas vai que tinta de parede substitui. O que importa é que o secretário é mais um dos nossos premiados. E já fica o recado para os próximos anos: uma gafe jamais passará despercebida pelo nosso prêmio.

3 - Categoria “Vou Ver e Te Aviso”

Sabe aquele amigo que nunca consegue marcar uma saída, que está sempre enrolando, pedindo para deixar para a próxima semana, dizendo que vai ver a agenda e depois te avisa? Pois é, ele seria a representação perfeita desta categoria, se não fosse o PT baiano. Desde o final do ano passado, o partido já havia prometido que em janeiro começariam as discussões para definir o candidato à prefeitura de Salvador das eleições de 2024. Elas até aconteceram, mas uma decisão ou anúncio ficou só na promessa mesmo. E, a cada entrevista, era uma diferente: até o final de junho será decidido, até agosto, até novembro. O fato é que fecharemos o ano sem um candidato definido, mas o PT, ao menos, sairá com o troféu de melhor “vou ver e te aviso”.

4 - Categoria “Marcia Sensitiva”

José Medrado e os ouvintes do Sintonia que nos perdoem, mas Márcia Sensitiva, a vidente brasileira que diz que deixar louça suja na pia atrai espíritos esfomeados, tem espaço nesse prêmio. Ela nomeia nossa próxima categoria, que consagra aqueles que têm o poder da premonição, da clarividência. E dessa habilidade nosso estúdio foi testemunha neste ano. Era uma habitual entrevista no Jornal da Bahia no Ar, em 15 de agosto, quando o entrevistado, o presidente da AL-BA, Adolfo Menezes, soltou a despretensiosa expressão “luz no fim do túnel” e o breu tomou conta do país. Foram seis horas até a energia elétrica ser restabelecida nos 25 estados afetados. O troféu “Marcia Sensitiva” é todo dele.

Foto: metropress/Fernanda Vilas Boas

5 - Categoria “Desbravador”

A próxima categoria consagra aquele que por pouco não tem um ou outro poder: o de estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Na Bahia, o destaque é o governador Jerônimo Rodrigues (PT). Quem achou que depois da campanha ele perderia o ritmo das viagens, se enganou. Só nos últimos sete dias, o governador esteve em Brasília, pelo menos cinco cidades do interior do estado e agora embarcou para acompanhar a comitiva do presidente Lula (PT) na viagem ao Oriente Médio. É por isso que o prêmio de desbravador do ano é mais do que merecido.

6 - Categoria “Calado Vence”

Já ouviu a expressão “calado [sempre] vence”? Ela ficou famosa em um desses realitys, na voz de um personagem que, após horas de um bate-boca daqueles, se retirava prometendo ficar quieto. A verdade é que 2023 foi fraco de intrigas, se fosse um reality não seria das melhores edições. Mas um nome garantiu entretenimento: Fábio Mota. Em um começo de temporada desastroso, o presidente do Vitória prometeu que o clube seria campeão da Série B e se classificaria para a Copa do Brasil. A declaração justamente naquele momento, claro, pegou mal. Ele virou alvo de chacota e foi chamado até de irresponsável pela imprensa. Ficou quieto por quase nove meses. Mas aí é que vem a vitória do calado: tudo se concretizou. E além da taça da Série B, ele fecha o ano com o troféu JM.
 

7 - Categoria “IBGílson”

O Censo do IBGE foi um dos destaques da cobertura da imprensa neste ano. Mas, muito antes dele ser concluído e divulgado, em janeiro, quando ambulantes de Salvador reclamavam do credenciamento 100% online para o trabalhar no Carnaval, o ex-titular da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), Luciano Ribeiro, deu um show de mapeamento, pesquisa e estatística. Para justificar a modalidade do cadastro, ele afirmou convicto que todas as pessoas em Salvador têm celular e acesso à internet e quem tem dificuldade de manusear o aparelho poderia pedir ajuda a um filho ou parente. Mais tarde, no início deste mês, o Censo revelou que mais de 2 milhões de pessoas não têm acesso à internet no estado. Mas, tarde demais, o ex-secretário já havia garantido o nosso Prêmio JM 2023.


Foto: Divulgação/Secom PNS

8 - Categoria “Papagaio de Pirata”

O vencedor desta categoria é fácil de encontrar. Basta buscar nas fotos e vídeos de qualquer evento do governo estadual. O rosto sorridente dele está sempre ali estampado ao lado de personalidades da gestão. O que não falta nessas agendas são os chamados “arroz de festa”, mas o deputado estadual Robinson Almeida (PT) se dedicou e mereceu o troféu de melhor “Papagaio de Pirata” do ano.

9 - Categoria “Acertou, Miseravi”

Aqui, o prêmio vai para aquela solução que, sob muitas críticas, acaba dando certo ou pelo menos passando confiança. O projeto do subsídio e anistia da dívida das empresas de ônibus que atuam em Salvador foi o melhor representante desta categoria em 2023. A proposta do prefeito Bruno Reis (União) foi aprovada com unanimidade na Câmara dos Vereadores, fazendo o principal problema enfrentado por sua gestão se transformar em uma prova de força política. Mas não só isso, a jogada do prefeito fez com que essa crise fosse adiada para, pelo menos, depois da eleição municipal do próximo ano. Se será a solução para o sistema de transporte público, só o futuro sabe. Mas politicamente ele acertou e merece o prêmio.

10 - Categoria “Chega pra Lá”

“Ninguém vai me empurrar da cadeira”. Esse foi o “chega pra lá” mais marcante do ano e, por trás, tem uma disputa pela figura de vice na chapa do prefeito Bruno Reis em 2024. A dona da frase e premiada da categoria é a atual vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT), que vê partidos como Republicanos, PSD, PL e até o correligionário Léo Prates brigando por seu assento no Palácio Tomé de Sousa. Mas ela não deixou de mostrar presença. No Prêmio JM, pelo menos, ela já é disparada a campeã na categoria melhor “Chega pra Lá”.