Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sexta-feira, 12 de julho de 2024

Home

/

Notícias

/

Jornal da Metropole

/

Gasolina em Salvador aumenta pela terceira vez no ano e revolta consumidores

Jornal Metropole

Gasolina em Salvador aumenta pela terceira vez no ano e revolta consumidores

Postos de abastecimento em Salvador amanheceram na segunda-feira com uma diferença de até R$ 0,80 no litro comparado ao valor do dia anterior

Gasolina em Salvador aumenta pela terceira vez no ano e revolta consumidores

Foto: Metropress/Luana Malena

Por: Laisa Gama no dia 11 de julho de 2024 às 00:56

Atualizado: no dia 11 de julho de 2024 às 10:15

Matéria publicada originalmente no Jornal Metropole em 11 de julho de 2024

Perdoem-nos o trocadilho, mas abastecer o carro em Salvador tem se tornado uma verdadeira bomba. Ainda mais depois que a Acelen e os postos de combustível da capital mostraram que são um tanto apressadinhos e vivem à frente do Brasil quando o assunto é reajuste. A Petrobras havia anunciado que, a partir de terça-feira (9), o preço do litro da gasolina aumentaria R$ 0,20, passando a R$ 3,01 o valor de revenda para as distribuidoras.

Quem se preparou para encher o tanque antes disso e aproveitar o valor antigo na segunda-feira (8) deu com os burros n’água, porque na Bahia os preços dos combustíveis são determinados pela Acelen, proprietária da Refinaria de Mataripe. Desde que a estatal encerrou o modelo de subordinação dos valores ao Preço de Paridade de importação (PPI), a empresa anunciou que não seguiria a política de preços da Petrobras. Sobrou, claro, para o consumidor.

Como a pressa é inimiga da perfeição, os cálculos não coincidiram. Enquanto a Petrobras reajustou a gasolina em 7,12% (ou R$ 0,20), a Acelen anunciou um aumento de 3,1% - mas na prática a variação foi quase três vezes maior do que a da estatal. Postos de abastecimento em Salvador amanheceram na segunda-feira com uma diferença de até R$ 0,80 no litro. Uma apuração do Repórter Metropole apontou que um dos postos na Avenida Heitor Dias havia fechado o preço da gasolina no domingo (7) em R$5,79 e passou para R$6,59 na manhã seguinte. O resultado pode significar R$ 44 a mais para quem for encher um tanque médio de um carro.

Nesse posto, um condutor compartilhou que, para ele, encher o tanque agora é item de luxo e, evitando mais sofrimento além do hora de pagar a conta, ele deixou até de acompanhar as mudanças nos preços. “Tenho que abastecer de qualquer forma”, diz.

A Acelen alega que os preços seguem critérios de mercado, “considerando variáveis como custo do petróleo, que é adquirido a preços internacionais, dólar e frete, podendo variar para cima ou para baixo”. Esse é o primeiro reajuste da Petrobras no ano, mas na Acelen e nos postos de Salvador, que seguem à frente do tempo, já é pelo menos o terceiro. Em abril, a empresa anunciou um aumento de 5,1% para as distribuidoras e em fevereiro, 3%. É por isso que para o consumidor ir a um posto é sempre uma surpresa - ou melhor, uma bomba. E como desgraça pouca é bobagem para o baiano, na semana passada o preço do GLT (gás de cozinha) também sofreu alteração, de 7%. Agora, ele pode chegar a R$ 150. E os consumidores que se preparem para o efeito dominó desses cálculos.