Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 20 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Justiça

/

Governador do Acre se torna réu por corrupção após denúncia no STJ

Justiça

Governador do Acre se torna réu por corrupção após denúncia no STJ

Além do governador, também foram denunciados, sua esposa, dois irmãos do chefe do Poder Executivo e servidores públicos

Governador do Acre se torna réu por corrupção após denúncia no STJ

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Por: Metro1 no dia 15 de maio de 2024 às 17:57

Atualizado: no dia 15 de maio de 2024 às 18:29

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) tornou o governador do Acre, Gladson Cameli (PP-AC), réu por unanimidade, nesta quarta-feira (15). No entanto, os magistrados não atenderam o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para que o chefe do Executivo estadual fosse afastado do cargo. 

Nancy Andrighi, relatora do caso, votou para que denúncia da PGR fosse aceita e que o governador se tornasse réu pelos crimes de dispensa indevida de licitação, peculato, corrupção passiva majorada e organização criminosa. Todos os ministros acompanharam o entendimento.

“Embora demonstrada a gravidade das supostas condutas delitivas imputadas ao acusado, os fatos narrados na denúncia não se revelam contemporâneos, razão pela qual eu voto para indeferir, por ora, o pleito ministerial, sem prejuízo da decretação da citada medida caso reste demonstrada nos outros inquéritos a mim distribuídos a subsistência do risco à ordem pública”, votou.

De acordo com a denúncia, a empresa Murano Construções LTDA, que teria recebido R$ 18 milhões dos cofres públicos, e empresas subcontratadas teriam pagado propina ao chefe do executivo estadual em valores que superam os R$ 6,1 milhões. A transferência ocorreu por meio do pagamento de parcelas de um apartamento em um bairro nobre de São Paulo e de um automóvel de luxo.

Apresentada em novembro do ano passado, a denúncia da PGR detalha fatos apurados no âmbito da Operação Ptolomeu, deflagrada pela Polícia Federal (PF). Além do governador, também foram denunciados a mulher de Cameli, dois irmãos do chefe do Poder Executivo, servidores públicos, empresários e pessoas que teriam atuado como “laranjas” no esquema.

“Os elementos colocados na investigação e trazidos na denúncia apontam que Gladson Cameli agiu ativa e pessoalmente para garantir a estabilidade e a execução do arranjo atuando como líder da organização criminosa”, destaca a subprocuradora-geral Luiza Frischeinsen.