Sábado, 06 de agosto de 2022

Mundo

Após perda de direito nos EUA, empresas irão bancar viagem de funcionárias que querem fazer aborto

A proibição ou não do aborto passa a depender da decisão de cada Estado americano

Após perda de direito nos EUA, empresas irão bancar viagem de funcionárias que querem fazer aborto

Foto: Reprodução Getty Images

Por: Metro1 no dia 27 de junho de 2022 às 09:04

Várias empresas americanas se manifestaram após a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos que retira o direito ao aborto, legal no país há 49 anos. A sentença foi divulgada na sexta-feira (24), mas não significa necessariamente a proibição total do aborto nos EUA. A proibição ou não do aborto passa a depender da decisão de cada Estado americano. 

Empresas como Netflix, Airbnb, Microsoft, Levi Strauss & Co., Starbucks, Tesla e Disney anunciaram políticas de cobrir as despesas de viagem de funcionárias que precisem fazer abortos. 

A Johnson & Johnson disse: "Como a empresa de produtos médicos de base mais ampla no mundo, procuramos melhorar a acessibilidade física e financeira, criar comunidades mais saudáveis e colocar a saúde ao alcance das pessoas às quais servimos. Acreditamos que as decisões sobre saúde devem ser tomadas pelos indivíduos em consulta com seus médicos". 

Após perda de direito nos EUA, empresas irão bancar viagem de funcionárias que querem fazer aborto - Metro 1