Mundo

Candidato à presidência da Venezuela denuncia agressão a correligionário

Henri Falcón, candidato opositor a Nicolás Maduro nas eleições venezuelanas do dia 20 de maio, denunciou a agressão de militares chavistas a Teodoro Campo, deputado e chefe da segurança do postulante à presidência, com quem também divide o partido, durante um evento da campanha realizado hoje (3), na cidade de Caracas, capital do país. [Leia mais...]

[Candidato à presidência da Venezuela denuncia agressão a correligionário]
Foto : Reprodução/Twitter

Por Marina Hortélio no dia 03 de Abril de 2018 ⋅ 15:21

Henri Falcón, candidato opositor a Nicolás Maduro nas eleições venezuelanas do dia 20 de maio, denunciou a agressão de militares chavistas a Teodoro Campo, deputado e chefe da segurança do postulante à presidência, com quem também divide o partido, durante um evento da campanha realizado hoje (3), na cidade de Caracas, capital do país. As informações são da agência Reuters.

Nas imagens divulgadas nas redes sociais, é possível ver Campos carregado por dois homens, com sangue escorrendo pelo rosto. De acordo com o Estadão, Falcón disse que a comitiva passada por Catia, um bairro popular do oeste de Caracas, foi atacada por um grupo de 25 a 30 indivíduos. "Lamentavelmente, um dos nossos deputados, Teodoro Campos, sofreu um traumatismo craniano severo e está hospitalizado", completou o presidenciável.

Falcón responsabilizou o governo de Nicolás Maduro por "encorajar" grupos violentos a fim de afetar a campanha dele em várias atividades. O candidato ainda disse que o ataque "deve ter sido feito com um soco-inglês".

Notícias relacionadas