Mundo

WhatsApp e Facebook aumentam adesão a caravana que segue para os EUA

O número de migrantes saltou em outubro, quando explodiu a cobertura da caravana pela mídia e de posts nas redes sociais

[WhatsApp e Facebook aumentam adesão a caravana que segue para os EUA]
Foto : David McNew/Getty Images

Por Marina Hortélio no dia 24 de Outubro de 2018 ⋅ 21:00

A caravana da migrantes que segue para os Estados Unidos, preocupa o governo americano. A origem do grupo com mais de 7 mil viajantes da América Central tem relação com a divulgação do comboio por Facebook, WhatsApp e até pela TV.

De acordo com o embaixador hondurenho no México, Alden Rivera Montes, existem evidências de que o movimento começou com a ação de ativistas liderados pelo ex-legislador de Honduras, Bartolo Fuentes. Segundo ele, Bartolo se comunicava com a mídia e era o rosto do "evento".

Ao jornal americano, The Washington Post, Bartolo afirmou que tinha como intenção unir diferentes grupos que já pretendiam viajar para o norte. Ainda em setembro, foram publicados posts em grupos hondurenhos no Facebook com detalhes do planos para a caravana.

Em outubro, quando explodiu a cobertura pela mídia e de posts nas redes sociais em toda a América Central, o número de migrantes saltou em comparação com a quantidade inicial.

Notícias relacionadas