Mundo

Atirador que matou 11 pessoas em sinagoga nos EUA fazia posts antissemitas na web

De acordo com o Globo, uma das publicações antissemitas foi feita no próprio dia do ataque, considerado o mais violento contra a comunidade judaica nos Estados Unidos

[Atirador que matou 11 pessoas em sinagoga nos EUA fazia posts antissemitas na web]
Foto : Reprodução / Exame

Por Alexandre Galvão no dia 28 de Outubro de 2018 ⋅ 15:00

O atirador que matou 11 pessoas e feriu outras seis, incluindo quatro policiais, em uma sinagoga no estado americano da Pensilvânia, ontem (28), apresenta um histórico de posts antissemitas em uma rede social. Segundo fontes policiais ouvidas pela imprensa local, Robert Bowers, de 46 anos, gritou "todos os judeus devem morrer" no momento em que invadiu a cerimônia religiosa.

De acordo com o Globo, uma das publicações antissemitas foi feita no próprio dia do ataque, considerado o mais violento contra a comunidade judaica nos Estados Unidos. O atirador escreveu que a Sociedade de Ajuda ao Imigrante Hebreu "gosta de trazer invasores que matam nosso povo".

"Não posso me sentar e ver meu povo ser morto. Dane-se seu ponto de vista, eu vou entrar (na sinagoga)", afirmou na rede social Gab, criada na Filadélfia como alternativa conservadora ao Twitter.

A empresa confirmou, em nota, que o perfil com o nome do agressor é verdadeiro e foi suspenso, e que está em contato com o FBI sobre o assunto.

Notícias relacionadas