Mundo

Presidente do Equador diz que mulheres só reclamam de assédio quando é feito por ‘uma pessoa feia’

Lenín Moreno afirmou que quando é alguém ‘bem apresentado’, a atitude não é pensada como assédio

[Presidente do Equador diz que mulheres só reclamam de assédio quando é feito por ‘uma pessoa feia’]
Foto : Reprodução/Twitter

Por Lara Curcino no dia 03 de Fevereiro de 2020 ⋅ 08:40

O presidente do Equador, Lenín Moreno, disse, durante encontro com investidores, que as mulheres reclamam de assédio quando é feito por “uma pessoa feia”.

“Os homens são constantemente sujeitos a acusações de assédio. Vejo que as mulheres frequentemente denunciam assédio, é verdade, é bom que o façam, mas às vezes vejo que estão com raiva dessas pessoas feias", afirmou ele na última sexta-feira (31), de acordo com o G1.

Para o presidente, quando a pessoa é “bem apresentada”, as mulheres não pensam em certas atitudes como assédio. “Se a pessoa é bem apresentada de acordo com os padrões, ela geralmente não pensa necessariamente que é um assédio. Já no caso da minha idade, não seria assédio, seria ocaso sexual.”

Moreno chegou a pedir desculpas pelas declarações nas redes sociais. “No meu comentário sobre assédio, [eu] não pretendia minimizar um assunto tão sério como violência ou abuso. Peço desculpas se foi entendido dessa maneira. Rejeito a violência contra as mulheres em todas as suas formas!”, escreveu ele.

Notícias relacionadas

[Acaba o confinamento em Wuhan, primeiro epicentro da Covid-19]
Mundo

Acaba o confinamento em Wuhan, primeiro epicentro da Covid-19

Por Kamille Martinho no dia 07 de Abril de 2020 ⋅ 17:00 em Mundo

Apesar dos 11 milhões de residentes poderem sair sem autorização especial, eles precisam ter um aplicativo de telefone que carrega dados sobre sua saúde e seus movimentos

[China registra 1º dia sem mortes por Covid-19]
Mundo

China registra 1º dia sem mortes por Covid-19

Por Juliana Almirante no dia 07 de Abril de 2020 ⋅ 07:20 em Mundo

Situação é inédita desde o início da publicação de estatísticas sobre a epidemia do coronavírus em janeiro