Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Missões diplomáticas ficam sem verba para aluguel

Segundo o jornal Valor Econômico, embaixadas e consulados aguardam a aprovação do Orçamento geral de 2021

[Missões diplomáticas ficam sem verba para aluguel]
Foto : Arquivo/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 08 de Fevereiro de 2021 ⋅ 10:00

Sem a aprovação do Orçamento geral de 2021, que até agora nem chegou a ter comissão mista instalada no Congresso, as embaixadas e consulados do Brasil sofreram um corte inesperado de recursos em janeiro. Segundo informações do Valor Econômico, os repasses às representações diplomáticas no exterior corresponderam a cerca de 15% do valor esperado.

Em geral, quando o Orçamento não é aprovado a tempo, os ministérios costumam receber por mês 1/12 do que está previsto no ano todo. Desta vez, no entanto, o procedimento mudou e os diplomatas foram pegos de surpresa. Assim, várias contas estão sendo atrasadas: pagamento de aluguel da sede das embaixadas ou consulados (quando o imóvel não é próprio), contratos com fornecedores ou terceirizados e até mesmo faturas de luz e água.

Muitos diplomatas ouviram de Brasília a orientação de pedir aos donos dos imóveis, bem como para as empresas concessionárias de água e energia, uma postergação dos pagamentos para março. A essa altura, o governo avalia que o Orçamento deverá ter sido finalmente aprovado pelo Congresso, regularizando a situação.

Notícias relacionadas