METROPOLE

Domingo, 09 de maio de 2021

Política

Médico Marcelo Queiroga aceita convite de Bolsonaro para Ministério da Saúde

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia se reuniu nesta segunda-feira no Planalto com Bolsonaro

Médico Marcelo Queiroga aceita convite de Bolsonaro para Ministério da Saúde

Foto: Agência Senado

Por: Matheus Simoni no dia 15 de março de 2021 às 19:54


O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) confirmou hoje (15) que o atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deixará o cargo e, para o lugar dele, foi convidado o  atual presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga. O médico aceitou o convite e será o quarto ministro da Saúde da gestão Jair Bolsonaro. Durante reunião na tarde desta segunda-feira, Queiroga ficou cerca de 3 horas com Bolsonaro no Palácio do Planalto. Após o encontro, o presidente disse afirmou a apoiadores que já tinha conhecimento do profissional e o classificou como "qualificado" para o cargo. O anúncio oficial será feito nesta terça-feira (16). A escolha de Queiroga acontece após os fracassos nas negociações com a médica Ludhmila Hajjar. Ela esteve com Bolsonaro ontem e hoje, mas afirmou ter recusado o convite do presidente para assumir a pasta.

Marcelo Queiroga tem 55 anos e é médico formado pela Universidade Federal da Paraíba. Ele fez residência médica no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro e treinamento em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista na Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Atualmente é responsável pelo Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, em João Pessoa (PB) e é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

O médico também tem no currículo intensa atuação na Associação Médica Brasileira (AMB) e na Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), que também presidiu.
 

TV METRO

Entrevistas

Roberto Coelho

Em 07 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
Médico Marcelo Queiroga aceita convite de Bolsonaro para Ministério da Saúde - Metro 1