Política

Sandro Régis sobre pedido de empréstimo do governo: "Falta de respeito"

Em entrevista ao Metro1, nesta terça-feira (15), o deputado Estadual e líder da oposição na Assembleia, Sandro Régis, falou do pedido de urgência de votação do empréstimo de R$ 2 bilhões para o governo do estado. Em sessão realizada durante a tarde, a bancada de oposição obstruiu a votação do empréstimo de R$ 2 bilhões para o governo do estado.[Leia mais...]

[Sandro Régis sobre pedido de empréstimo do governo:
Foto : Divulgação

Por Jessica Galvão e Matheus Morais no dia 15 de Março de 2016 ⋅ 18:15

Em entrevista ao Metro1, nesta terça-feira (15), o deputado Estadual e líder da oposição na Assembleia, Sandro Régis, falou do pedido de urgência de votação do empréstimo de R$ 2 bilhões para o governo do estado. Em sessão realizada durante a tarde, a bancada de oposição planeja obstruir a votação do empréstimo de R$ 2 bilhões para o governo do estado. 

"Não tem mais acordo porque nós entendemos que uma Assembleia com uma estrutura dessa, com diversas comissões próprias para se discutir os empréstimos, o governo insista com o apoio da Casa e da bancada do governo, não se discutir nada e se trazer R$ 600 milhões de dólares para regime de urgência. Eu encaro isso como uma grande falta de respeito à população baiana", disse.

Sandro Régis também disse que agora não tem mais diálogo. "O que eles querem aqui é fazer uma atualização de empréstimo sem dizer nada. Eles querem um cheque em branco da Assembleia. Não tem conversa. A oposição nem pra projeto mais de deputado tem dispensa de formalidade. Qualquer projeto agora vai ter que ter todos os trâmites legais, ou todos esse artifícios que o governo usa que envergonha a Casa. Acabou o diálogo", falou.

Notícias relacionadas

[Maia diz que Bolsonaro não tem coragem de demitir Mandetta ]
Política

Maia diz que Bolsonaro não tem coragem de demitir Mandetta

Por Luciana Freire no dia 03 de Abril de 2020 ⋅ 19:00 em Política

Para o presidente da Câmara uma eventual troca mudaria a política do Ministério da Saúde e significaria que Bolsonaro não acredita no que o ministro está fazendo